Arquivo | Universidade

Alunos finalistas da licenciatura em Artes Visuais da UAlg inauguram «Ferônia»

Publicado em 12 Junho 2019 por RUA

A antiga Fábrica da Cerveja, na Cidade Velha, em Faro, vai receber a exposição dos alunos finalistas do curso de licenciatura em Artes Visuais da Universidade do Algarve. Intitulada «Ferônia» a exposição tem inauguração marcada para o dia 21 de junho, às 21h30, e ficará patente até 6 de julho.

Para esta nova edição, os alunos escolheram o título FERÔNIA evocando a simbologia da força, da fertilidade e da liberdade associada a esta deusa da antiga mitologia romana. Estabelece-se, assim, um paralelo entre essas ideias e a criatividade artística presente nas obras que estes jovens emergentes querem livremente afirmar em sociedade.

FERÔNIA apresenta as obras e as investigações realizadas pelos alunos finalistas da licenciatura em Artes Visuais e do mestrado em Comunicação Cultura e Artes da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) da UAlg.

Nos espaços da Antiga Fábrica estão presentes obras que são reflexo do estudo da história da arte, da teoria da arte contemporânea e da expressão prática em atelier, que se manifestam, idiossincraticamente, em diversas vertentes e técnicas da pintura, escultura, desenho, gravura, ilustração, fotografia, vídeo, instalação multimédia e performance.

Com esta exposição explora-se também outro objetivo do curso de Artes Visuais, o domínio da curadoria de exposições e a intervenção artística nos espaços públicos e arquitetónicos. Prossegue-se, assim, a divulgação de uma nova geração de criativos para que a comunidade se aperceba do seu valor artístico e os integre como essenciais protagonistas do desenvolvimento cultural local, com a ambição de uma dimensão universal.

A curadoria é dos professores Bertílio Martins, Fernando Amaro, Mirian Tavares, Pedro Cabral Santo, Rui Sanches, Susana de Medeiros, Tiago Batista e Xana.

A Exposição pode ser visitada de 21 de junho a 6 de julho, diariamente, das 15h00 às 19h00.

Comentários fechados em Alunos finalistas da licenciatura em Artes Visuais da UAlg inauguram «Ferônia»

UAlg mostra-se no Brasil

Publicado em 06 Junho 2019 por RUA

A Universidade do Algarve está presente, pelo segundo ano consecutivo, no “Portugal 360”, que decorre entre os dias 6 e 9 de junho, na Cidade das Artes (Barra da Tijuca), Rio de Janeiro.

No evento vão estar presentes diversos órgãos oficias, grandes empresas, empresários, empreendedores, universidades, escolas e cultura em geral, para mostrar o que de melhor se faz por terras lusitanas.

O programa inclui palestras, workshops, cursos e outras atividades em áreas tão distintas como a cultura, o entretenimento, a gastronomia, o desporto, a educação, os negócios e o turismo.

A comitiva da UAlg presente no certame apresentará as novidades de formação e terá ainda a oportunidade de explicar aos visitantes como é “Estudar onde é bom viver”, abordando questões como o custo de vida, duração dos cursos e formas de acesso, entre outras.

Numa nota enviada à imprensa, a UAlg lembra que a academia algarvia tem registado um interesse muito significativo por parte de estudantes brasileiros. O número de brasileiros inscritos em cursos da UAlg cresceu 40% em 2018/2019, representando mais de metade dos estudantes de nacionalidade estrangeira e quase 10% do número de total de estudantes de grau da universidade. Já são mais de 700 estudantes brasileiros a frequentar cursos de formação inicial, mestrados e doutoramentos. A estes, juntaram-se este ano mais de 150 estudantes brasileiros através de programas de mobilidade.

A iniciativa ‘Portugal 360’ é organizada pelo Consulado Geral de Portugal no Rio de Janeiro e pelo Turismo de Portugal.

A participação da UAlg insere-se no projeto “Algarve is Our Campus – Study and Research in Algarve”, cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Algarve – CRESC Algarve 2020, através do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Internacionalização, que tem como objetivo promover e reforçar a notoriedade e atratividade da Universidade do Algarve e da Região, através da implementação de ações que visam a internacionalização e o consequente aumento do número de estudantes, docentes e investigadores internacionais.

Mais informações: www.portugal360.com.br

Comentários fechados em UAlg mostra-se no Brasil

Universidade do Algarve acima da média em 12 indicadores do U-Multirank 2019

Publicado em 04 Junho 2019 por RUA

A Universidade do Algarve voltou a destacar-se no U-Multirank 2019, alcançando a classificação máxima em oito indicadores e encontrando-se acima da média, com “Bom” ou “Muito Bom”, em 12 indicadores.

A classificação máxima de “Muito Bom” neste ranking foi-lhe atribuída nos seguintes indicadores: Spin-offs (Transferência de conhecimento); Empresas criadas por diplomados (Transferência de conhecimento); Pós-Doutorados (Investigação); Interdisciplinaridade das publicações (Investigação); Publicações normalizadas pela dimensão da instituição (Investigação); Publicações internacionais conjuntas (Internacionalização); Diplomados com o grau de licenciado a trabalhar na região; e Diplomados com o grau de mestre a trabalhar na região (Envolvimento regional).

Comparando com o ano anterior, a UAlg melhorou de “Bom” para “Muito Bom” no indicador Diplomados com o grau de licenciado a trabalhar na região (Envolvimento regional).

Nos anos anteriores a investigação, a transferência de conhecimento e a internacionalização, já se tinham destacado em resultado da estratégia de desenvolvimento da Universidade do Algarve, afirmando-a como uma universidade cosmopolita e inovadora que aposta fortemente na produção de conhecimento e na sua transferência para a sociedade. Este ano a UAlg volta a progredir no envolvimento regional, com a melhoria nos indicadores Diplomados com o grau de licenciado a trabalhar na região (A- Muito Bom) e Receita com origem regional (B- Bom), mas também na internacionalização, no indicador Doutoramentos internacionais – percentagem do total de doutoramentos (B – Bom). Também a estratégia de promoção da inovação e do empreendedorismo dos seus estudantes mantém os resultados anteriores, com o indicador Empresas criadas por diplomados (Transferência de conhecimento) a permanecer na classificação máxima.

Este ranking compara mais de 1500 universidades a nível mundial, tendo como base cinco critérios de desempenho: Ensino (Teaching and Learning), Investigação (Research), Transferência de Conhecimento (Knowledge Transfer), Internacionalização (International Orientation) e Envolvimento regional (Regional Engagement). Cada universidade é classificada tendo em conta um total de 35 indicadores, que podem ser consultados em: www.umultirank.org.

Comentários fechados em Universidade do Algarve acima da média em 12 indicadores do U-Multirank 2019

Cientistas concluem que as primeiras ferramentas em pedra lascada datam de entre 2,61 e 2,58 milhões de anos

Publicado em 03 Junho 2019 por RUA

Um novo sítio arqueológico na Etiópia, descoberto por uma equipa internacional de cientistas, de que faz parte Vera Aldeias, do Centro Interdisciplinar de Arqueologia e Evolução do Comportamento Humano (ICArEHB) da Universidade do Algarve, Portugal, mostra que as primeiras ferramentas em pedra lascada datam de entre 2,61 e 2,58 milhões de anos. 

Análises feitas pelos investigadores, publicadas esta semana na revista Anais da Academia Nacional de Ciências (Proceedings of the National Academy of Sciences), sugerem que ferramentas em pedra podem ter sido inventadas muitas vezes e de várias formas antes de se tornarem fundamentais para o desenvolvimento da linhagem humana.

O local de escavação, conhecido como Bokol Dora 1 ou BD 1, está próximo do sítio onde se encontrou em 2013 o fóssil mais antigo atribuído ao nosso género Homo, descoberto em Ledi-Geraru, na região de Afar, no nordeste da Etiópia. O fóssil, um osso da mandíbula, data de há cerca de 2,78 milhões de anos atrás, ou seja, cerca de 200 mil anos antes das ferramentas de pedra lascada conhecidas até então. A equipa de Ledi-Geraru tem trabalhado nos últimos cinco anos para descobrir se existe uma ligação entre as origens do género Homo e as origens do uso sistemático de ferramentas em pedra.

Um passo significativo nessa busca foi dado quando o geólogo Christopher Campisano, da Arizona State University, encontrou vários instrumentos de pedra lascada.

“No começo, encontrámos vários artefactos na superfície, mas não sabíamos de que sedimentos vinham”, diz Campisano. “Mas quando olhei para cima na encosta de uma pequena ravina, vi artefactos parcialmente expostos a sair de uma camada de argila. Escalei a encosta e encontrei duas belas ferramentas de pedra parcialmente expostas pela erosão”.

Foram necessários vários anos para escavar à mão vários metros de sedimentos antes de se expor a camada arqueológica com ossos de animais e centenas de pequenos artefactos em pedra lascada. Estes artefactos são a mais antiga evidência do fabrico e uso de utensílios em pedra pelos nossos antepassados diretos. A excelente preservação dos artefactos deve-se ao facto de terem sido depositados perto de uma zona lacustre.

“Observando os sedimentos ao microscópio, pudemos ver que o local esteve exposto durante muito pouco tempo. Essas ferramentas foram deixadas pelos primeiros humanos perto da água e depois rapidamente enterradas. O sítio permaneceu assim durante milhões de anos”, observou a geoarqueóloga Vera Aldeias do ICArEHB, Universidade do Algarve.

Kaye Reed, diretora do projeto de pesquisa Ledi-Geraru e professora no Arizona State University’s Institute of Human Origins, juntamente com Campisano, estuda a ecologia desta região e observa que os animais encontrados juntamente com as ferramentas eram semelhantes àqueles associados aos primeiros fósseis de Homo, descobertos apenas a alguns quilómetros de distância.

“Os primeiros humanos que fizeram estas ferramentas de pedra viviam num habitat totalmente diferente do da ‘Lucy’ ”, diz Reed. “Lucy” é o nome pelo qual é conhecida a espécie mais antiga de hominídeos conhecida como Australopithecus afarensis, que foi descoberta no local de Hadar, na Etiópia, a cerca de 45 km a sudoeste de BD 1. “O habitat mudou de arbustos com árvores ocasionais e florestas ribeirinhas para pradarias abertas com poucas árvores. Até as girafas fósseis estavam a comer ervas!”

Para além de datar uma cinza vulcânica depositada a vários metros abaixo de BD1, os geólogos do projeto analisaram a assinatura magnética dos sedimentos do local. Durante a história da Terra, a polaridade magnética inverteu-se em intervalos que podem ser identificados. Outros sítios arqueológicos já conhecidos, próximos da idade de BD 1, estão em sedimentos de polaridade “invertida”. No entanto, os artefactos de BD 1 estão em sedimentos de polaridade “normal”. A reversão de “normal” para “invertida” aconteceu há cerca de 2,58 milhões de anos, logo, os geólogos sabiam que os artefactos de BD 1 são necessariamente mais antigos que todos os sítios anteriormente conhecidos.

Anteriormente era conhecido um tipo diferente de ferramentas, usadas para percussão e encontradas no Quénia que datam de há 3,3 milhões de anos (conhecidas como o “Lomekwiense”). Também se conhecia evidências de ossos de animais com marcas de corte encontrados na Etiópia, que, conjuntamente, demonstram uma grande antiguidade de uso de ferramentas pelos nossos antepassados. No entanto, devido às recentes descobertas de ferramentas utilizadas por chimpanzés e macacos atuais, levantaram-se dúvidas sobre os autores dessas ferramentas pré-históricas. 

Arqueólogos que trabalham no local do BD 1 questionaram-se de como sua nova descoberta de ferramentas em pedra se encaixava neste quadro cada vez mais complexo. O que eles descobriram foi que, não apenas essas novas ferramentas eram os artefactos mais antigos atribuídos a uma cultura conhecida como o Olduvaiense, uma tecnologia originalmente nomeada depois do achado de Olduvai Gorge na Tanzânia, mas também distintas de ferramentas feitas por chimpanzés ou macacos. 

“Esperávamos ver alguma indicação de uma evolução do Lomekwiense para estas primeiras ferramentas de Oldovaiense. No entanto, quando olhámos atentamente para os padrões, havia muito poucas semelhanças com o que se conhece de sítios arqueológicos mais antigos ou com as ferramentas feitas por primatas modernos”, disse Will Archer do Max Plank Institute for Evolutionary Anthropology em Leipzig e da University of Cape Town.

As maiores diferenças parecem ser a capacidade dos nossos antepassados para produzirem ferramentas de gumes afiados de forma sistemática a partir de grandes nódulos de pedra. Pelo contrário, os chimpanzés e outros primatas geralmente usam utensílios através de percussão para processar alimentos como nozes e moluscos, o que aliás parece ter sido o caso dos utensílios do Lomekiense com 3,3 milhões de anos. 

Mas algo mudou há 2,6 milhões de anos atrás, com os nossos antepassados a tornarem-se mais proficientes no talhe de utensílios em pedra lascada. Os artefactos de BD 1 atestam esta mudança. 

Aparentemente, esta alteração no talhe de instrumentos lascados é concomitante com a mudança morfológica ao nível da dentição desses hominínios, como está patente na mandíbula de Homo de Ledi-Geraru. Há medida que os nossos antepassados deixaram de utilizar a sua dentição para processar os alimentos antes de os comer e a substituíram com o uso de utensílio de pedra lascada, começamos a ver uma redução no tamanho dos dentes. Estes dados demonstram que a nossa evolução biológica está intimamente ligada com o nosso desenvolvimento tecnológico desde há 2,6 milhões de anos atrás.

As diferenças entre os utensílios de BD1 e aquelas conhecidas anteriormente do Lomekiense sugerem que a invenção de ferramentas em pedra terá acontecido em mais do que um momento no passado. David Braun, um arqueólogo da George Washington University e o autor principal deste estudo, disse: 

“Dado que espécies de primatas atuais usam rotineiramente percutores em pedra para explorar recursos, é muito possível que os nossos antepassados africanos tenham desenvolvidos várias formas de usar artefactos de pedra para extrair recursos de seu ambiente. Se a nossa hipótese estiver correta, então esperamos encontrar algum tipo de continuidade na morfologia dos artefactos a partir de há 2,6 milhões de anos atrás, mas não antes. Para testarmos esta hipótese precisamos de encontrar mais sítios arqueológicos destas cronologias.”

A partir desta data, e como parte da condição humana, parece ter havido um investimento de longo prazo no uso de ferramentas. Investigações de campo continuam na área do projeto de Ledi-Geraru e já produziram mais dados inéditos sobre os padrões de comportamento desses nossos antepassados. Trabalhos de campo retomam ainda este ano.  

Esta investigação foi apoiada pela Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos e pela John Templeton Foundation. O artigo “Earliest known Oldowan artifacts at >2.58 Ma from Ledi-Geraru, Ethiopia, highlight early technological diversity,” será publicado nos Anais da Academia Nacional de Ciências (Proceedings of the National Academy of Sciences) a 3 de junho de 2019.

Comentários fechados em Cientistas concluem que as primeiras ferramentas em pedra lascada datam de entre 2,61 e 2,58 milhões de anos

Vários setores da sociedade reúnem-se na UAlg por um “Algarve +saudável, com -plástico

Publicado em 30 Maio 2019 por RUA

Diversos setores da sociedade vão reunir-se no dia 6 de junho, pelas 10h00, no Grande Auditório do Campus de Gambelas da Universidade do Algarve, para debater a crise do plástico e lançar duas iniciativas para um “Algarve +saudável, com -plástico”.

O evento inicia-se com o lançamento oficial da Campanha “Plásticos à vista – Livre-se dessa espécie”, uma iniciativa da DECO-Algarve com o objetivo de sensibilizar o consumidor para a redução do consumo de plástico.

Às 10h30, os plásticos marinhos no Algarve vão ser discutidos por representantes de diversos setores da sociedade: Adelino Canário (diretor do Centro de Ciências do Mar- CMAR); Carolina Gouveia, representante da DECO; um aluno do Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira; Paulo Gouveia da Costa, presidente da Conselho de Administração da FAGAR (a confirmar); João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve; José Pacheco; diretor regional da Administração da Região Hidrográfica do Algarve; Jorge Botelho, presidente da AMAL (a confirmar); e Alexandra Teodósio, vice-reitora da UAlg.

Às 12h15, no Átrio do Grande Auditório, será inaugurada a exposição “Plástico à vista!”, uma interpretação artística sobre a crise do plástico, desenvolvida pelos alunos do Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira.

Segundo a organização do evento “a crise do plástico é um dos maiores desafios que a sociedade enfrenta atualmente, com efeitos avassaladores sobre o Oceano”. Sabe-se que o plástico prejudica o ambiente e que assume uma dimensão global assustadora, estando na base do estilo de vida e hábitos de consumo da sociedade. “Como é que podemos lidar com este problema?” O principal objetivo desta iniciativa, organizada pela UAlg, CMAR e Deco – Algarve, é discutir esta problemática e possibilitar a troca de ideia entre todos os participantes.

Comentários fechados em Vários setores da sociedade reúnem-se na UAlg por um “Algarve +saudável, com -plástico

Última chamada: Cursos de Verão da UAlg ainda tem inscrições abertas

Publicado em 29 Maio 2019 por RUA

Os Cursos de Verão da Universidade do Algarve (UAlg) vão realizar- de 1 a 5 de julho e de 8 a 12 de julho, em diversas áreas de estudo: Ciências; Línguas e Humanidades; Economia, Gestão e Turismo; Artes e Design; Desporto; Engenharias e Tecnologia; Saúde; Empreendedorismo. As inscrições já estão a decorrer e terminam a 10 de junho.

Estes cursos destinam-se exclusivamente a candidatos até 18 anos de idade (inclusive), que frequentem o ensino secundário em Portugal ou o mesmo nível de ensino noutro país, como por exemplo o ensino médio no Brasil.

Tendo como principal objetivo promover o gosto pelas diversas áreas de ensino e investigação da UAlg e ajudar os jovens na sua escolha vocacional, esta iniciativa possibilita ainda a vivência da realidade académica nos campi e o contacto com alunos e docentes da Academia.

As atividades letivas e experimentais acontecem na parte da manhã. A tarde encontra-se reservada para atividades desportivas e de lazer, nomeadamente atividades como surf, Stand Up Paddle, batismo de mergulho, bodyboard, canoagem, jogos de praia, entre outras.

Os alunos poderão escolher uma das três modalidades disponíveis: o curso, com atividades letivas durante a manhã (50€); o dia completo, com curso durante a manhã, atividades desportivas durante a tarde e duas refeições diárias (100€); ou ainda o regime residencial (190€) que promove a experiência académica completa e alojamento de cinco noites na residência universitária.

Vários Municípios já se associaram a esta iniciativa, como Mértola, Alcoutim e Odemira, que estabeleceram protocolos de colaboração com a UAlg, fomentando, assim, a participação dos estudantes do ensino básico e secundário nos Cursos de Verão.

Ainda é possível efetuar inscrições para as últimas vagas disponíveis.

Inscriçõeshttps://www.ualg.pt/pt/content/ficha-candidatura-cursos-verao-2019

Informações: cursosdeverao@ualg.pt ou 289 800 099

Comentários fechados em Última chamada: Cursos de Verão da UAlg ainda tem inscrições abertas

16º Edição do Curso Livre de História do Algarve inicia-se a 4 de junho

Publicado em 20 Maio 2019 por RUA

No dia 4 de junho inicia-se a 16º edição do curso livre de História do Algarve, organizado pelo Departamento de Artes e Humanidades da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) da Universidade do Algarve (UAlg), em colaboração com o Centro de Estudos em Património, Paisagem e Construção (CEPAC). O curso decorrerá no anfiteatro D, do complexo pedagógico, no Campus das Gambelas, entre as 18h00 e as 20h00.

Esta edição será dedicada ao “Património Artístico do Algarve” e contará com a colaboração de diversos especialistas, procurando relembrar a riqueza patrimonial da região algarvia em diversos domínios artísticos.

No dia 4 de junho, Francisco Lameira apresentará “Manuel Martins (1667-1742) ”, oficial de entalhador e escultor famoso.

A sessão seguinte, de dia 6 de junho, ficará a cargo de Carla Varela Fernandes, que falará acerca “Do Património de Tavira entre os séculos XIV e XVI”.

No dia 13 de junho, Maria José Gonçalves apresentará a comunicação “Entre argilas, óxidos e pinceladas, alguns tópicos sobre a ornamentação da cerâmica do Gharb al-Andalus”.

A sessão seguinte, de 18 de junho, contará com a participação de Daniel Santana, que invocará “Diogo Tavares e Ataíde e o Barroco no Algarve: entre a tradição e a modernidade”.

No dia 25 de junho, Pedro Barros abordará a questão do “Património artístico a partir de património arqueológico: a escrita do sudoeste no Ameixial”.

O curso encerrará no dia 27 de junho com a colaboração de Marta Santos, que falará acerca da “Arte das platibandas no Algarve: função, formas e manufacturas”.

Para além destas sessões, o curso conta ainda com duas visitas, sendo a primeira a Milreu, no dia 11 de junho, orientada por Cristina Garcia. A segunda visita, orientada por Marco Lopes, irá decorrer no dia 19 de junho, ao Museu Municipal de Faro.

Mais informações e inscrições em: https://www.ualg.pt/pt/content/historia-do-algarve

Comentários fechados em 16º Edição do Curso Livre de História do Algarve inicia-se a 4 de junho

UAlg desafia municípios algarvios a desenhar políticas fiscais verdes locais

Publicado em 16 Maio 2019 por RUA

Os municípios de Aljezur, Monchique, Lagoa, Silves, Faro e Olhão aceitaram o desafio lançado pela Universidade do Algarve, através do CRIA – Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia, e juntaram-se para desenhar políticas fiscais locais com o objetivo de promover a utilização de fontes de energia renováveis que serão posteriormente implementadas nos municípios da região algarvia. Esse desafio surge no âmbito das atividades do projeto LOCAL4GREEN – LOCAL Policies for GREEN Energy.

O projeto Local4Green pretende trabalhar diretamente com os municípios na definição e implementação de políticas fiscais inovadoras, com vista a incentivar o uso de fontes de energia renovável, quer no setor público, quer no privado, preferencialmente dentro dos Planos de Ação de Energia Sustentável adotados pelas entidades públicas consignatárias do Pacto dos Autarcas. O projeto irá apoiar o teste de políticas fiscais verdes, inovadoras, a nível local, e monitorizar os seus resultados na disseminação de fontes de energia renováveis. Por último, irá facilitar a capitalização das melhores práticas e a sua aplicação noutros municípios, a nível nacional e transnacional.

As medidas a desenvolver pelos municípios do Algarve incluem a redução de taxas de obras de construção para construções novas com sistemas de produção renovável, a redução de taxas de IMI para frações de habitação com sistemas de produção renovável, a redução de taxas municipais de IRC (derrama) para edifícios com sistemas de produção renovável, o estacionamento reservado e gratuito para veículos elétricos e a contribuição parcial da tava turística para geração renovável.

O Local4Green é financiado pelo Programa INTERREG MED através do Eixo Prioritário 2 – Perseguir estratégias de baixo carbono e eficiência energética em territórios específicos MED: cidades, ilhas e áreas remotas; Objetivo Específico 2.2 – Aumentar a quota dos recursos locais renováveis em planos e estratégias mistas de energia em territórios MED específicos. O projeto inclui parceiros da região de Valência (Espanha), Valeta (Malta), Zagreb (Croácia), Thermi (Grécia), Roma (Itália), Liubliana (Eslovénia), Nicósia (Chipre), Algarve (Portugal) e Tirana (Albânia).

No que se refere a Portugal, o projeto Local4Green conta ainda com a Agência Regional de Energia e Ambiente do Algarve (AREAL), o Município de Loulé e o Município de Faro como parceiros associados.

Comentários fechados em UAlg desafia municípios algarvios a desenhar políticas fiscais verdes locais

O melhor do design mostra-se na 9ª edição o Algarve Design Meeting em Faro

Publicado em 15 Maio 2019 por RUA

A Fábrica da Cerveja acolhe, entre os dias 21 e 25 de maio, mais uma edição do Algarve Design Meeting. Este evento internacional pretende promover as áreas do Design e dos Audiovisuais, em todas as suas formas de expressão, reunindo anualmente na cidade de Faro, designers, marcas, indústria, investigadores, empresas e instituições.

Num espaço com cerca de 2 mil m2, a 9ª edição do Algarve Design Meeting oferece um conjunto de seminários que contam com a participação de vários oradores nacionais e internacionais, que irão partilhar as suas experiências ou apresentar os seus projetos. Para além dos seminários, existirá, também, um espaço dedicado à mostra e comercialização dos produtos, bem como exposições, workshops temáticos e cinema ao ar livre.

Nesta edição do Algarve Design Meeting estreia um novo conceito, o Projeto Montra, que pretende contribuir para a promoção e revitalização da zona comercial da Baixa de Faro através de intervenções de design multidisciplinar realizadas pelos estudantes de Design de Comunicação nas montras de espaços comerciais relevantes da Rua de Santo António e Rua D. Francisco Gomes. Esta iniciativa conta com o apoio da União de Freguesias de Faro.

Nos dias 24 e 25 de maio, entre as 14h30 e as 18h00, haverá espaço para várias conferências que reunirão em Faro conceituados nomes das várias áreas do Design e dos Audiovisuais.

No dia 24 de maio destacam-se nomes como: Miguel Pires (NERVO – Brand Entertainment To Create An Entertaining Brand); Ana Lima e Sandrina Teixeira (ISCAP – O Design e o Marketing de Conteúdos); Jimmy Millan (Como viver da Arte sem morrer na tentativa); Pedro Serapicos (Autoria e Design – Entre a Wonderbly – UK e PSST – PT) e Alexandra Santos (Design para uma cultura num mundo globalizado).

Já no dia 25 de maio, será a vez de Ricardo Lopes (Grés, Porcelana e Terracota: Viagens de um Oleiro no Oriente); Pablo Ocqueteau e Philine von Düszeln (Mapuguaquén); Bárbara Pintar e Jordi Sabat (Followbirds); Ricardo Henriques (Designer na Google, Silicon Valley, Experiências que nos ajudam); João Miranda (Big Kitchen – Um Type Specimen vivo), terminando com a Silvadesigners (One word is worth a thousand images).

Um dos pontos altos do evento decorrerá no dia 25 de maio, pelas 22h00, na fachada da Igreja da Sé de Faro, com a apresentação pública dos trabalhos da 6.ª edição do Festival de Videomapping, realizados por alunos dos cursos de Design de Comunicação e Imagem Animada da Universidade do Algarve e por alunos de outras Instituições de ensino nacionais e internacionais.

A iniciativa é organizada pela Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve em parceria com a Associação Nacional de Designers (AND) e a Câmara Municipal de Faro.

Consultar programa: http://algarvedesignmeeting.ualg.pt/

Comentários fechados em O melhor do design mostra-se na 9ª edição o Algarve Design Meeting em Faro

Seminário e webinar de “design e prototipagem” realiza-se na UAlg

Publicado em 15 Maio 2019 por RUA

Engenheiros, investigadores e alunos vão reunir-se na Universidade do Algarve, no dia 17 de maio, num seminário presencial e webinar, que se realiza no Auditório Teresa Gamito (Edifício 1), para partilhar conhecimentos sobre Design e Prototipagem aplicados nas áreas de Engenharia, Design, Medicina e Música, entre outras áreas.

A iniciativa decorre no âmbito da pós-graduação em “Design e Prototipagem Rápida” e dos projetos em curso financiados pela American Association for Heating, Refrigerating and Air-conditionning Engineering (ASHRAE), através da ASHRAE Students, Programa Operacional Regional do Algarve (CRESC Algarve 2020), ao abrigo do Acordo de Parceria PORTUGAL 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e da Fundação Nacional de Ciência e Tecnologia (FCT).

Neste seminário e webinar serão apresentados e partilhados conhecimentos sobre novas técnicas no desenvolvimento de prototipagem rápida e de fabrico digital, desde o desenvolvimento até à produção do produto. Será realizado de forma presencial, com inscrição obrigatória, mas gratuita, limitada à capacidade do Auditório. Quanto à inscrição no Webinar é igualmente obrigatória e gratuita, mas limitada. A participação, realizada por videoconferência, pode ser efetuada através de computador ou de dispositivos móveis.

O seminário tem como públicos-alvo estudantes, engenheiros, arquitetos, profissionais de saúde, gestores, economistas, professores e outros profissionais com interesse na área.

Estas e outras novas áreas da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve, integradas nas novas tecnologias relacionadas com um ambiente mais limpo e mais saudável, serão igualmente abordadas por um conjunto de especialistas.

Consultar programa aqui.

Ficha de inscrição: www.ualg.pt/pt/content/design-and-prototyping

Comentários fechados em Seminário e webinar de “design e prototipagem” realiza-se na UAlg

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Jun
16
Dom
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 16@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
Jun
17
Seg
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 17@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
Jun
18
Ter
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 18@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
Jun
19
Qua
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 19@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
Jun
20
Qui
todo o dia Açoteia – Faro Rooftop Festival @ Faro
Açoteia – Faro Rooftop Festival @ Faro
Jun 20 todo o dia
Açoteia - Faro Rooftop Festival @ Faro
De quinta a sábado tem lugar o Açoteia – Faro Rooftop Festival. Um evento cultural pioneiro em Portugal, que tem como palco dezenas de Açoteias da cidade e cujo programa aborda três grandes vertentes: arte,[...]
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 20@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
21:30 Não Te Preocupes, Não Irá Longe ... @ IPDJ - Faro
Não Te Preocupes, Não Irá Longe ... @ IPDJ - Faro
Jun 20@21:30_22:45
Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé - Cineclube de Faro @ IPDJ - Faro
Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé é o filme que o Cineclube de Faro exibe quinta-feira. John Callahan, boémio alcoólico, tem um acidente de automóvel que quase o leva a perder a vida.[...]
Jun
21
Sex
todo o dia Açoteia – Faro Rooftop Festival @ Faro
Açoteia – Faro Rooftop Festival @ Faro
Jun 21 todo o dia
Açoteia - Faro Rooftop Festival @ Faro
De quinta a sábado tem lugar o Açoteia – Faro Rooftop Festival. Um evento cultural pioneiro em Portugal, que tem como palco dezenas de Açoteias da cidade e cujo programa aborda três grandes vertentes: arte,[...]
14:30 Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Photo ARK – A Nova Arca de Noé e... @ Marina de Vilamoura
Jun 21@14:30_23:30
Photo ARK – A Nova Arca de Noé em Vilamoura @ Marina de Vilamoura
Até 30 de setembro, Vilamoura recebe a Photo ARK – A Nova Arca de Noé, uma exposição composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore, com a chancela da National[...]
17:00 “Soberana” no Cine-Teatro Louletano @ Cine-Teatro Louletano
“Soberana” no Cine-Teatro Louletano @ Cine-Teatro Louletano
Jun 21@17:00_22:45
“Soberana” no Cine-Teatro Louletano @ Cine-Teatro Louletano
De sexta a domingo o Cine-Teatro Louletano recebe “Soberana”. O espetáculo é uma criação do Teatro do Eléctrico, a partir da temática da Mãe Soberana, uma realidade do concelho de Loulé. “Soberana” é uma investigação[...]
21:30 4ª edição da Festa da Música @ Teatro Lethes - Faro
4ª edição da Festa da Música @ Teatro Lethes - Faro
Jun 21@21:30_22:45
4ª edição da Festa da Música @ Teatro Lethes - Faro
Sexta-feira o Teatro Lethes recebe a 4ª edição da Festa da Música. O Maestro Vitorino d’Almeida e a cantora algarvia Nádia Sousa são os convidados da Alliance Française do Algarve. A voz melodiosa de Nádia[...]
21:30 Barba – Cineclube de Tavira @ Convento do Carmo - Tavira
Barba – Cineclube de Tavira @ Convento do Carmo - Tavira
Jun 21@21:30_22:45
Barba - Cineclube de Tavira @ Convento do Carmo - Tavira
Barba, de Paulo Abreu, é o filme que o Cineclube de Tavira exibe sexta-feira. Um filme mudo, que nesta exibição é musicado ao vivo por Vítor Rua num concerto com projecções dos Daltonic Brothers. Parado[...]
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões