Arquivo | Música

Meo Marés Vivas recebe o blues, o soul e o funk nacional dos The Black Mamba

Publicado em 10 Abril 2018 por RUA

O MEO MARÉS VIVAS nunca esquece o que de melhor se faz em Portugal e este ano traz ao palco MEO no dia 21 de Julho a música dos portugueses The Black Mamba.

Maio de 2010 fica marcado na história pela junção de Pedro Tatanka, Ciro Cruz e Miguel Casais enquanto grupo. “The Black Mamba”, nome que baptiza o trio e o disco da estreia, foi a inspiração encontrada para em conjunto provarem do seu próprio veneno. A química e a experiência destes grandes músicos, permitiu-lhes percorrer o universo do blues, soul e funk, numa adaptação ao seu habitat natural.

O público português foi consensual e imediato no reconhecimento e apoio a este trabalho: primeiro lugar de vendas do iTunes, a primeira edição do disco esgotado nas lojas, o airplay nas rádios, a presença de norte a sul em várias salas e festivais de destaque, são indicadores que em Portugal, representam por si só uma vitória.

2014 arranca com a produção do segundo disco de originais, “Dirty Little Brother” editado a 22 de Setembro., um disco produzido entre Lisboa e Nova Iorque, que reúne 11 temas com colaborações como: Aurea, António Zambujo, Silk (Cais Sodré Funk Connection) e Orlanda Guilande.

Ao longo de 2015, a banda percorreu o país com a tour de apresentação de Dirty Little Brother, tendo marcando presença em grande eventos e festivais nacionais, como o MEO MARÉS VIVAS.

The Black Mamba encontram-se a trabalhar no sucessor de “Dirty Little Brother”, sendo “Stronger” a primeira amostra daquele que será o terceiro álbum de originais da banda. É assim com muita expetativa que o público do MEO MARÉS VIVAS aguarda o regresso dos The Black Mamba ao festival de Vila Nova de Gaia.

O MEO, marca do Grupo Altice, volta a ser o patrocinador principal do evento, assumindo-se assim como naming sponsor de um festival de verão que já se revelou como uma aposta ganha da marca. Esta relação entre a MEO, a PEV e a Câmara Municipal de Gaia iniciou-se em 2010 e parte agora para o oitavo ano consecutivo.

Entre 20 e 22 de jsulho de 2018, o MEO MARÉS VIVAS, um festival conhecido pelo cartaz que abrange vários estilos musicais, impactando assim várias gerações de visitantes, irá contar novamente com 4 palcos destinados aos melhores projetos internacionais, aos grandes artistas de renome e aos novos talentos nacionais.

Na edição de 2018, o MEO MARÉS VIVAS pretende voltar a oferecer a todos os seus visitantes as melhores condições de acessibilidade e conforto, sempre com total respeito pelo meio envolvente, e indo de encontro às boas-práticas ambientais que levaram a que o festival de Vila Nova de Gaia fosse este ano distinguido com o prémio “Sê-lo Verde” atribuído pelo Ministério do Ambiente.

Comentários (0)

Sofi Tukker, Mahalia e Pierre Kwenders são as novas confirmações do SBSR

Publicado em 04 Abril 2018 por RUA

As expectativas aumentam para mais uma edição do Super Bock Super Rock. Nos dias 19, 20 e 21 de julho, o Parque das Nações, em Lisboa, volta a receber a celebração da melhor música do mundo. E neste Festival há tempo e espaço para tudo, até para entregar o corpo às propostas mais dançantes, entre live sets e concertos, no palco instalado na Sala Tejo da Altice Arena, agora com novo nome, o Palco Somersby. As primeiras confirmações para este palco são para isso mesmo: Sofi Tukker, Mahalia e Pierre Kwenders.

Somersby abraça, assim, o Festival, agora como naming sponsor de um dos palcos do Super Bock Super Rock. Será “um palco do outro mundo” – em linha com o conceito criativo e com o mood da marca – para acompanhar os festivaleiros citadinos numa viagem envolvente e vibrante às novas tendências mundiais e às diferentes sonoridades da música que se dança. À semelhança do espírito da marca, o ambiente será descontraído e leve, onde são esperadas batidas intensas e ritmadas, ao sabor de uma sidra bem fresca.

O sucesso dos Sofi Tukker foi tudo menos planeado. Tucker nunca pensou em trabalhar na música, passando grande parte da vida a planear uma carreira como basquetebolista; em relação a Sophie, o sonho de uma vida dedicada à música já existia, mas mantinha essas ambições quase em segredo, sem grandes expectativas. A origem deste duo deu-se por um feliz acaso, quando Sophie Hawley-Eld e Tucker Halpern se encontraram numa galeria na Universidade Brown nos Estados Unidos. A cumplicidade foi imediata e não passaria muito tempo desde esse primeiro encontro até ao primeiro tema viral da banda: impulsionada por um anúncio da Apple, “Drinkee” foi ouvida mais de 20 milhões de vezes no Spotify e foi nomeada para um Grammy na categoria de Melhor Música de Dança. As inúmeras viagens de Sophie acabaram por contribuir para a atmosfera multicultural da música dos Sofi Tukker – um belo exemplo disso são as letras em português, como “Drinkee”, com versos do poeta carioca Chacal. O duo trabalha bem sob pressão e não se tem intimidado com as crescentes multidões nos concertos, com os elogios da crítica, unânime em reconhecer a qualidade da banda, ou com os milhões de visualizações no YouTube. O EP “Soft Animals” confirma os créditos, com temas tão fortes como “Matadora” ou “Awoo”, exemplos de uma eletrónica que tanto convida à dança como à contemplação, bem próxima do indie pop. Os próximos capítulos reservados para 2018 passam pelo disco de estreia, “Treehouse”, e pela participação no Super Bock Super Rock, dia 21, no Palco Somersby.

Mahalia Burkmar nasceu em Leicester, no ano de 1998. As primeiras canções chegaram bem cedo. Para se ter uma ideia, a primeira delas, “My Angel”, foi escrita com apenas oito anos de idade. Quando completou 13 anos, a jovem cantora assinou o seu primeiro contacto, com a editora Asylum Records. Apesar deste percurso, Mahalia não teve pressa para gravar, privilegiando o conhecimento de si própria e do mundo. Colaborou com a banda eletrónica Rudimental e já acompanhou estrelas como Ed Sheeran ou Kendrick Lamar. A simplicidade das suas canções serve a suavidade e delicadeza da sua voz. Com a ajuda de produtores do calibre de Steve Fitzmaurice ou Nineteen85, Mahalia não dá passos em falso neste início de carreira. “Diary of Me” é o primeiro álbum, com uma irresistível atmosfera pop, mas também com vontade de explorar outras linguagens, mais próximas do hip hop (ouça-se, por exemplo, o single “Sober”). O futuro é todo de Mahalia. E um dos próximos passos vai ser conquistar o público do Super Bock Super Rock, dia 19, no Palco Somersby.

José Louis Modabi é Pierre Kwenders para o mundo da música, uma autêntica pérola capaz de juntar rumba congolesa, r&b, pop, rock, gospel e muitos outros géneros, oferecendo um som difícil de definir, um grito que parece chegar das profundezas do mundo. Natural do Congo e residente no Canadá, nunca desdenhou nenhuma influência e desde o início que olha para a arte que quer fazer como uma ponte para unir África ao resto do mundo. Para conseguir esse seu objetivo, Pierre Kwenders tem sido uma esponja capaz de absorver várias sonoridades, desde os estilos mais marcadamente ocidentais até à rumba congolesa, principalmente da década 40 do século passado. Depois dos EPs “Whiskey & Tea” e “African Dream”, Pierre Kwenders editou o primeiro disco em 2014. “Le Dernier Empereur Bantou” foi bem recebido pelo público e pela crítica, o que lhe permitiu sedimentar a sua fama no Canadá e também crescer internacionalmente. O caminho continua com o novo disco, “MAKANDA at The End of Space, the Beginning of Time”, editado em 2017. O tema “Sexus, Plexus, Nexus”, uma homenagem ao escritor Henry Miller, está carregado de sensualidade e mostra o melhor de Pierre Kwenders, um artista que tem o condão de aquecer qualquer ambiente com o seu afro-inde irresistível. E é precisamente isso que se espera para o dia 20 de julho no Palco Somersby do Super Bock Super Rock.

Já confirmados:

19 de julho
Palco Super Bock – The xx, Justice
Palco EDP – The Vaccines, Lee Fields & The Expressions, TORRES
Palco Somersby – Mahalia

20 de julho
Palco Super Bock – Travis Scott, Anderson .Paak & The Free Nationals, Slow J
Palco EDP – Tom Misch, Oddisee & Good Company, Olivier St. Louis
Palco Somersby – Pierre Kwenders

21 de julho
Palco Super Bock – Julian Casablancas & The Voidz, Benjamin Clementine
Palco EDP – Jorja Smith, Baxter Dury, Sevdaliza
Palco Somersby Sofi Tukker

Comentários (0)

Imagine Dragons com concerto em nome próprio em Lisboa

Publicado em 04 Abril 2018 por RUA

Imagine Dragons, os multiplatinados e vencedores de um Grammy, acabam de confirmar um concerto em nome próprio em Lisboa dia 04 de setembro. A banda de Las Vegas sobe ao palco da Altice Arena para apresentar o terceiro álbum de estúdio, “Evolve”. Os bilhetes serão colocados à venda já este sábado, dia 07 de abril, nos pontos de venda oficiais.

A banda de Dan Reynolds ganhou rápida projeção internacional após o lançamento do primeiro EP “It’s Time”, divulgado em 2011, a que se seguiu, já em 2012, o disco de estreia “Night Visions”, de onde saíram os êxitos “Radioactive” e “Demons”. A reconhecida publicação Billboard já colocou o grupo por duas vezes no ranking “Year In Rock”, tendo-os também destacado como banda revelação, após o lançamento do disco de estreia, e maior banda de 2017. De referir ainda a distinção da Rolling Stone ao single “Radioactive”, que foi recordista do maior número de semanas na tabela HOT 100, como o maior hit rock do ano.

O terceiro registo de originais dos Imagine Dragons, “Evolve”, editado no final do passado mês de junho, é já um indiscutível sucesso, com o single “Thunder” a registar mais de 600 milhões de visualizações.

Comentários (0)

SURMA é a próxima presença nos Serões da Primavera

Publicado em 03 Abril 2018 por RUA

SURMA é a próxima presença nos Serões da Primavera dia 7 de abril a partir das 22h na nossa sede, em Santo Estevão, no Barrocal do Concelho de Tavira.

One Woman Band cujo disco de estreia, “Antwerpen”, lançado a 13 de Outubro de 2017, já recebeu páginas de destaque em meios como o Público, Expresso ou Blitz e apresentações em Portugal, Espanha e França. Acabou de ser já confirmada para o South By Southwest 2018.

Débora Umbelino é original de Leiria mas o que nos traz vem de locais bem mais exóticos. SURMA, é o seu projecto one-woman-band, onde domina teclas, samplers, cordas, vozes e loop stations em sonoridades que fogem do jazz para o post-rock, da electrónica para o noise e nos levam para paragens mais ou menos incertas, com paisagens desconhecidas e muito prazer na viagem.

O primeiro single/video de apresentação “Maasai” é produzido por Emanuel Botelho (Ex-Sensible Soccers) e misturado e masterizado por Paulo Mouta Pereira. O Video, de Eduardo Brito, foi filmado na cidade fantasma de Doel.

Ao longo dos último ano Surma foi actuando de norte a sul do país, passando por festivais como o Super Bock Super Rock, Milhões de Festa ou Lisb On e levou o seu concerto a países como Espanha, França, Suécia, Reino Unido e Alemanha.

Acabou de lançar o aguardado disco de estreia “Antwerpen”, que não tem nenhum dos temas que habitualmente tocava ao vivo.

“Hemma” foi o primeiro single do disco que tem sido aclamado pela crítica e que foi produzido pela Casota Collective (que integra elementos dos First Breath After Coma) e masterizado por Paulo Mouta Pereira.

Os Serões da Primavera estão inseridos e contam com o apoio do programa municipal de apoio ao associativismo VIVA A PRIMAVERA da responsabilidade do Municipio de Tavira, Freguesia de Luz de Tavira e Santo Estêvão e Direcção Regional da Cultura do Algarve.

Comentários (0)

Lil Pump no MEO Sudoeste

Publicado em 28 Março 2018 por RUA

De 7 a 11 de agosto de 2018, a Herdade da Casa Branca volta a receber milhares de festivaleiros, ansiosos por abraçar a semana que promete ser inesquecível. Depois das confirmações dos portugueses Mundo Segundo & Sam The Kid e Piruka, o hip hop conta com também representação internacional de peso, por parte do irreverente

Desde muito cedo que o sol de Miami iluminou o caminho do jovem Gazzy Garcia: e esse caminho tinha mesmo de passar pela música! Esse encontro com a vocação artística também se deveu a um outro encontro, com o rapper Smokepurpp, quando Lil Pump tinha pouco mais do que 13 anos de idade. Esta colaboração acabou por resultar no primeiro single de Lil Pump, “Movin”, precisamente com a participação de Smokepupp. Foi um sucesso que impulsionou mais singles, como “Elementary”, “Ignorant”, “Gang Shit” ou “Drum $tick”, canções que rapidamente ganharam força a partir da plataforma SoundCloud. E, num ápice, Lil Pump conseguia mais de três milhões de streamings no conjunto das várias plataformas digitais.

A rebeldia deste jovem rapper, com apenas 17 anos, acabou por encontrar na música o sítio certo para se manifestar: as rimas parecem sair facilmente, como se fossem uma segunda respiração, sobre os problemas típicos de um adolescente, os amores e a busca de identidade, mas também sobre outras questões, menos típicas de um jovem normal: os primeiros sucessos, o primeiro dinheiro, a expectativa de se tornar uma estrela do hip hop. E a verdade é que esse estatuto está a ali ao virar da esquina, graças aos seus beats contagiantes, na linha trap do hip hop, e também a uma forte presença nas redes sociais, onde é admirado tanto pela música, como pelo estilo.

No final de 2017, editou o álbum de estreia, “Lil Pump”. Conta com as participações de Smokepurpp, Chief Keef, Rick Ross, Gucci Mane, 2 Chainz, nomes que já eram referências para Lil Pump, e a produção ficou a cargo de Bighead, Ronny J, Mr. 2-17 e CBMix. “Gucci Gang”, com perto de 600 milhões de visualizações no Youtube, é um dos singles que maior sucesso, conquistando milhões de pessoas em todo o mundo. E é certamente um dos temas que vamos ouvir no dia 10 de agosto, no Palco MEO do MEO Sudoeste.

Segunda fase do Pack Tribo esgotada

Depois do sucesso da primeira fase do Pack Tribo, e correspondendo às muitas solicitações dos clientes MEO, fãs do MEO Sudoeste, a marca da Altice Portugal disponibilizou a venda de uma segunda vaga de packs com condições especiais para os seus clientes que, rapidamente, esgotaram também.

Comentários (0)

Nova canção dos Pearl Jam, “Can’t Deny Me”, já disponível em todas as plataformas digitais

Publicado em 16 Março 2018 por RUA

Os Pearl Jam acabam de lançar um novo tema, “Can’t Deny Me”, que fará parte do próximo álbum de estúdio do grupo. Coproduzido pela banda com Brendan O’Brien, esta é a primeira canção inédita dos Pearl Jam desde que lançaram, em 2013, o álbum “Lightning Bolt”, premiado nos Grammys.

“Can’t Deny Me” pode ser adquirida em pearljam.com e está disponível em todas as lojas digitais e serviços de streaming.

“Can’t Deny Me” foi primeiro lançada de surpresa para os membros do clube de fãs da banda Ten Club. A canção foi gravada em Seattle, em fevereiro de 2018, tendo sido escrita por Mike McCready e Eddie Vedder. O artwork do single foi criado por Jeff Ament e Kevin Shuss.

Os Pearl Jam acabam de iniciar a sua digressão mundial em Santiago do Chile, chegando a Portugal no dia 14 de julho, no âmbito do festival NOS Alive.

Ouve  a música aqui 

Comentários (0)

Japandroids juntam-se ao cartaz do NOS Alive’18

Publicado em 16 Março 2018 por RUA

O NOS Alive’18 vai receber  a dupla de canadianos Japandroids, que sobe ao Palco Sagres dia 13 de julho para apresentar  o mais recente álbum de estúdio “Near to the Wild Heart of Life”.

Brian King e David Prowse editaram o terceiro registo de originais em janeiro de 2017. Este novo trabalho vai buscar inspiração a James Joyce e Clarice Lispector e tem influências musicais em Tom Waits e The National. Contando mesmo com Peter Katis, produtor de longa data dos The National, na mistura e produção. Rapidamente foi considerado pela crítica e pelos fãs o mais inovador disco da banda até à data.

Juntos desde 2006, ganharam relevância após o lançamento do álbum de estreia “Post-Nothing”. Em 2012 com o segundo disco “Celebration Rock” a aclamação por parte dos media foi calorosa. Como é exemplo a revista Rolling Stone que considerou entre “The 10 Coolest Summer Albums of All Time”, a Pitchfork distinguiu como “Best New Music” e a Spin anunciou os Japandroids como “2012′s Band of the Year”.

A música de Japandroids descrita como uma mistura de rock clássico e punk, vai garantir um dos concertos mais energéticos do festival.

Depois da incrível edição de 2017, que esgotou a três meses da abertura de portas, o NOS Alive volta a fazer história e a esgotar os passes de três dias e os bilhetes diários para dia 14 de julho a sete meses do evento, feito único na história dos festivais em Portugal. Para os fãs que não querem ficar de fora, foi colocado à venda um passe de dois dias (12 & 13 de julho), que pode ser adquirido nos pontos de venda oficiais, assim como através do Fã Pack FNAC, à venda em FNAC e fnac.pt.

Comentários (0)

Blasted Mechanism são a mais recente confirmação para o NOS Alive’18

Publicado em 13 Março 2018 por RUA

Os Blasted Mechanism são a mais recente confirmação para o NOS Alive’18. A mítica banda nacional sobe ao Palco Sagres com uma nova formação, nova produção, novo espetáculo e novo look. Esta será a primeira apresentação da renovada banda aos fãs.

Após o lançamento de “Egotronic”, os Blasted Mechanism trazem um novo trabalho de estúdio, “Sinchronicity”, que será apresentado aos fãs ao vivo e em primeira mão no Passeio Marítimo de Algés.

Os novos trabalhos dos Blasted Mechanism primam pela surpresa e “Sinchronicity” não será exceção. Valdjiu, Ary, Guitshu e Fred Stone têm agora a companhia de Joahn Eckman, músico sueco que trará à banda um “refresh” vocal e combinará a lírica com a voz de Guitshu.

Esta enigmática aliança apresentará uma sonoridade inovadora na vida dos Blasted Mechanism. O novo álbum mostrará a união entre um Universo orgânico e outro digital. ”Running“, o primeiro single de “Sinchronicity” é uma reflexão mais centrada na vida terrena, nos vícios e frustrações vincados nas sociedades capitalistas.

Esta nova vida dos Blasted Mechanism trará também um novo espetáculo e um novo look. Inspirados nesta luta entre o humano e o digital a componente visual será como sempre um complemento às inusitadas e poderosas performances da banda.

Depois da incrível edição de 2017, que esgotou a três meses da abertura de portas, o NOS Alive volta a fazer história e a esgotar os passes de três dias e os bilhetes diários para dia 14 de julho a sete meses do evento, feito único na história dos festivais em Portugal. Para os fãs que não querem ficar de fora, foi colocado à venda um passe de dois dias (12 & 13 de julho), que pode ser adquirido nos pontos de venda oficiais, assim como através do Fã Pack FNAC, à venda em FNAC e fnac.pt.

​O NOS Alive’18 está de regresso ao Passeio Marítimo de Algés nos dias 12, 13 e 14 de julho de 2018.

Cartaz já anunciado: Arctic Monkeys, Alice in Chains, At The Drive In, Beatriz Pessoa, Bernardo, Black Rebel Motorcycle Club, Blasted Mechanism, Branko, Bryan Ferry, Cachupa Psicadélica, Chvrches, D’Alva, Dead End, DJ Glue, DJ Lag, Eels, Franz Ferdinand, Friendly Fires, Fumaxa, Future Islands, Here’s Johnny, Jack White, Jain, Khalid, Kokoko!, Lotus Fever, Mallu Magalhães, Miguel Araújo, Mighty Sands, Marmozets, Minta & The Brook Trout, MGMT, Na Surra, Nine Inch Nails, Orelha Negra, Pearl Jam, Perfume Genius, Primeira Dama, Populous, Portugal.The Man, Queens Of The Stone Age, Rag’n'Bone Man, Rastrounat + AKACorleone, Real Estate, Sampha, Sango, Snow Patrol, Spdeville, Surma, The Kooks, The National, Two Door Cinema Club, Wolf Alice, Yo La Tengo, XXIII e 800 Gondomar.

Comentários (0)

IPDJ recebe concerto de Tributo aos Pink Floyd

Publicado em 06 Março 2018 por RUA

No dia 9 de março, pelas 22h00, no IPDJ, IP – Direção Regional do Algarve, em Faro, será apresentado ao público o espetáculo dos alunos da Escola de Música da Fuseta  “The Other Side Of The Wall”, numa parceria com a Associação Cultural Fusetense.

Este espetáculo é um tributo que os alunos da Escola de Música da Fuseta, sob a direção do músico algarvio Domingos Caetano, prestam à musica dos PINK FLOYD. The Other Side Of The Wall conta com nove músicos em palco, que com as suas  guitarras, baixo, bateria, saxofone e voz nos presenteiam com uma abordagem ao universo da icónica banda rock britânica.

Com esta parceria a Direção Regional do Algarve do IPDJ, IP  pretende promover  o  associativismo, dando ênfase ao trabalho que os jovens constroem e dinamizam no âmbito das estruturas associativas, neste caso a Associação Cultural Fusetense. Assim,  The Other Side Of The Wall será apresentado ao público  no dia 9 de março de 2018, pelas 22h00, na Direção Regional do Algarve do IPDJ, IP, na rua da PSP, em Faro.

 

Comentários (0)

Anunciados os primeiros nomes do 15º Festival MED

Publicado em 05 Março 2018 por RUA

Asian Dub Foundation (Reino Unido), Dub Inc (França), Morgane Ji (Ilha da Reunião), La Pegatina (Espanha), 47 Soul (Palestina), Gato Preto (Moçambique/Gana/Portugal) e os portugueses Miguel Araújo, Orelha Negra, Sara Tavares, Gaiteiros de Lisboa, Teresa Salgueiro e Melech Mechaya são os primeiros nomes confirmados para a 15ª edição do Festival MED, anunciados durante a apresentação do evento na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, esta quinta-feira.

Nos dias 28, 29 e 30 de junho e 1 de julho (este último o Dia Aberto, de entrada livre), o Festival MED regressa à Zona Histórica de Loulé para mais uma edição que promete apresentar ao público nomes consolidados do panorama da World Music mas também novos projetos, dando a conhecer até países e culturas com os quais os portugueses estão pouco familiarizados. É o caso da Ilha da Reunião, ilha francesa localizada no Oceano Índico que, pela primeira vez, terá a sua representação no MED.

A 15ª edição terá 75 horas de música, 55 bandas de 20 nacionalidades diferentes, com mais de 260 músicos a atuar em 9 palcos em vários pontos do recinto. A par da música, e uma vez que o Festival MED é uma fusão cultural dos quatro cantos do Planeta, onde diversas manifestações têm lugar, das artes plásticas ao design, passando pelo teatro, novo circo, cinema, poesia, fotografia ou gastronomia, este ano 80 expositores de artesanato e produtos agroalimentares, 4 exposições espalhadas pelo recinto, 5 grupos diários de animação de rua e muita gastronomia típica de diversos países vai animar o casco medieval da cidade de Loulé.

Passado um ano desde que o Festival MED recebeu o prémio de Melhor Festival de Média Dimensão da Península Ibérica nos Iberian Festival Awards, Carlos Carmo, vereador da Câmara Municipal de Loulé e diretor do evento, sublinhou o “reconhecimento público de diversas entidades” relativamente a este festival que constitui, cada vez mais, uma imagem de marca da cidade de Loulé. Este ano, o evento vai disputar o prémio final nestes galardões com outros festivais portugueses e espanhóis nas categorias de Melhor Festival de Média Dimensão, Melhor Promoção Turística, Contributo para a Sustentabilidade, Melhor Atuação (Portugal/Espanha) para Ana Moura e Melhor Festival Lusófono e Hispânico.

Com mais de 30% de visitantes de nacionalidade estrangeira, de acordo com dados das últimas edições, “o MED constitui um importante veículo de promoção do destino Algarve”, como sublinhou o seu diretor, Carlos Carmo. Daí o facto de voltar a estar integrado na plataforma Portuguese Summer Festivals, do Turismo de Portugal, ao lado de mais 7 dos maiores festivais do País.

Prosseguindo uma política de sustentabilidade, nesta edição mantém-se a aposta já ganha de integrar no MED medidas de defesa ambiental que lhe valeram a atribuição do “Sê-lo Verde”, como é o caso do Copo Ecológico, que tem permitido uma substancial redução de copos de plástico, ou o Movimento Zero Desperdício, com a distribuição das refeições não consumidas durante os dias do festival a famílias em situação de maior vulnerabilidade do Concelho.

Durante a apresentação do MED na Bolsa de Turismo de Lisboa, o presidente da Autarquia, Vítor Aleixo,  salientou o crescimento que este evento tem tido em quase 15 anos de existência, em que “vários fatores convergiram para este ser um festival que se viria a impor”. Referindo o contributo para a atividade turística do País, o autarca sublinhou que, não obstante da organização pretender reinventar, a cada ano que passa, o Festival MED, o conceito do evento manter-se-á.

Presentes nesta sessão estiveram também dois artistas que este ano irão subir ao palco no Festival. Voz inconfundível da música portuguesa, Teresa Salgueiro, ex-Madredeus agora numa carreira a solo, manifestou a sua satisfação em integrar o cartaz do MED: “Estou muito honrada com este convite para atuar num festival que é um lugar de encontro, de um público português de várias regiões e de um público de diversos países”, considerou.

Já Carlos Borges, dos Gaiteiros de Lisboa que este ano regressam a Loulé, reafirmou o prazer em estar naquele que é “um dos maiores festivais de Portugal e que há anos que muito faz pela divulgação da música nacional”.

Os bilhetes para o Festival MED estarão à venda, em breve, em www.bol.pt

Toda a informação em https://www.facebook.com/festivalmedloule

Comentários (0)

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões