Arquivo | Cultura

Festival Encontros do DeVIR regressa para a sua 6ª edição sob o tema “Resgate”

Publicado em 19 Fevereiro 2020 por RUA FM

A 6ª edição dos Encontros do DeVIR, que se realiza entre 13 de março e 30 de maio, apresenta 28 criações e 12 reflexões, entre espetáculos, exposições, colóquios e performances em vários espaços dos concelhos de Faro, Loulé e Lagos. Este ano a programação do festival é concebida em torno do tema “resgate”, uma vez que recupera obras e criadores que são marcos da história da dança contemporânea nacional e internacional, presta homenagem à coreógrafa alemã Pina Bausch e ainda propõe uma reflexão sobre diferentes caminhos para resgate do Planeta.

A maior parte dos espetáculos são apresentados em dupla.

Este festival temático tem o propósito de pensar o nosso território, aliando o social ao cultural, o ecológico, o científico e político ao artístico, recorrendo ao trabalho de investigadores e cientistas e a encomendas de criação a escritores, a artistas das artes visuais e a criadores das artes do espetáculo, afirma José Laginha, diretor artístico dos encontros do DeVIR.

 

A Sagração da Primavera

A abrir o festival no dia 13 de março, no CAPa, Centro de Artes Performativas em Faro, vão ser apresentadas duas versões de Sagração da Primavera, célebre tema do compositor Igor Stravinsky: uma pelo conceituado coreógrafo francês Xavier Le Roy, cuja estreia decorreu na Bienal de Veneza em 2018; e outra pelo criador espanhol Roger Bernat, em que os espectadores são os protagonistas do espetáculo.

No dia 2 de maio, no Teatro Municipal de Faro, é apresentado SACRE, uma versão atípica do coreógrafo israelita Emanuel Gat, que prova que é possível dançar salsa com a música de Stravinsky.

Este espetáculo é constituído por SACRE e mais 3 duetos: Milena & Michael, Sara & Thomas e Geneviève & Karolina, três reflexões sobre o ato de dançar.

 

A homenagem a Pina Bausch

O ciclo Pina Bausch é uma homenagem a uma das maiores coreógrafas e bailarinas do século XX.

Deste ciclo faz parte Nelken Line, um workshop dirigido à comunidade onde todos, com ou sem experiência, podem experimentar dançar Pina Bausch. Esta é uma ação realizada em espaços públicos de Faro, Loulé e Quarteira, que aproveita as paisagens urbanas, transformando-as em cenários de criação, cujo resultado final será apresentado no dia 14 de março no Cineteatro Louletano, em Loulé e no dia 21 de março no CAPa, Centro de Artes Performativas em Faro.

Seguidamente, Raphaëlle Delaunay, ex-bailarina do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch, apresenta Debout!, uma obra com claras referências ao trabalho com Bausch enquanto sua intérprete, que levanta questões como: qual o papel do bailarino/intérprete no trabalho desenvolvido com os coreógrafos?

Raphaëlle Delaunay vai também estar à conversa com o público português sobre como é trabalhar com Pina Bausch e depois vão ser exibidos os filmes “Sagração da Primavera” e “Pina”, realizado por Wim Wenders, para melhor conhecer o trabalho da coreógrafa alemã desaparecida em 2009.

O resgate de obras icónicas da dança contemporânea de diferentes países

No dia 27 de março no Teatro das Figuras, em Faro, Vera Mantero regressa ao festival para apresentar Talvez ela pudesse dançar primeiro e pensar depois, um espetáculo de 1991 que marcou decisivamente o percurso da coreógrafa portuguesa e que foi apresentado pelo DeVIR em 1994.

Logo de seguida o libanês Bassam Abou Diab apresenta Under the Flesh, obra que narra as vivências de um povo em guerra desde 1993 e que questiona os movimentos migratórios políticos que têm como destino a Europa. Também esta obra já tinha sido apresentada nos encontros do DeVIR,

Doze anos depois da sua primeira apresentação em Portugal pela DeVIR, é apresentado Beautiful Me, um solo do coreógrafo e bailarino sul-africano Gregory Maqoma, que partilha palco com quatro músicos que prometem contagiar o público com a sua música africana. Este espetáculo conta ainda com a leitura de um texto inédito de João Tordo sobre o resgate em resposta a uma encomenda destes encontros, com ilustração de Mantraste em tempo real. Beautiful Me é um espetáculo para ver nos dias 3 de abril em Loulé e no dia 4 de abril em Lagos.

Do Brasil chega-nos Entre contenções, um solo de Eduardo Fukushima, ele que é um dos mais premiados coreógrafos da dança contemporânea brasileira. Depois Francisco Camacho apresenta O Rei no exílio — remake, a reposição de um solo marcante da dança contemporânea portuguesa, que se centra na figura de D. Manuel II, o último Rei de Portugal, e que faz o retrato dum país por vezes irónico, por vezes controverso, mas onde a solidão é permanente.

No dia 9 de maio, no Cine-Teatro Louletano, é apresentado ANIMALE, uma obra que estreou na Biennale Danza Venezia 2018 e com a qual Francesca Foscarini recebeu o prémio de coreógrafa emergente. Animale é o resgate da natureza e do humano no que tem de sublime e de animalesco, é a dança no absoluto. No mesmo dia, a coreógrafa suíça Tabea Martin apresenta Dueto para dois bailarinos, uma criação sobre a liberdade de escolha, onde dois homens procuram encontrar-se nas muitas perguntas que assaltam os intérpretes de dança contemporânea.

 

A era do Antropoceno: caminhos de transformação para o resgate do Planeta

No dia 21 de março vai ser apresentado em Faro Retrospective de Jérôme Bel, um dos mais desconcertantes e surpreendentes criadores do nosso tempo. Este espetáculo, que estreou no Festival de Outono 2019, em Paris, é um manifesto contra as alterações climáticas e conta ainda com a leitura de um texto inédito de Jacinto Lucas Pires sobre o tema do festival e com a ilustração em tempo real de Marc Parchow.

Ainda neste contexto, vai realizar-se no dia 23 de maio um colóquio e um atelier para reflectir sobre a era do Antropoceno e mostrar caminhos de transformação para o resgate do Planeta, particularmente no território português, envolvendo o público, investigadores, cientistas e fotógrafos.

 

As atividades paralelas

Paralelamente à apresentação dos espectáculos, vão ser desenvolvidas um conjunto de acções de formação, encontros/conversas com criadores, exposições, percursos e visitas acompanhadas na Serra do Caldeirão e na Ilha da Culatra, e eventos onde se analisará, sob diversos pontos de vista, o tema do Festival.

A organização da sexta edição do Festival encontros do DeVIR é da responsabilidade da DeVIR/CAPa, estrutura financiada por Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes. É uma iniciativa co-financiada pelo programa «365 Algarve», Turismo de Portugal, Câmara Municipal de Faro, Câmara Municipal de Lagos e Câmara Municipal de Loulé.

Programação completa no site oficial do festival.

Comentários fechados em Festival Encontros do DeVIR regressa para a sua 6ª edição sob o tema “Resgate”

Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo apresentam “A Reconquista de Olivenza” no Cineteatro Louletano

Publicado em 10 Fevereiro 2020 por RUA FM

Num exercício fantasioso com muito humor e pouco nacionalismo, e depois da auspiciosa estreia em Lisboa, a prestigiada dupla Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo apresenta o espetáculo “A Reconquista de Olivenza”, no Cineteatro Louletano, com duas sessões, respetivamente, nos dia 21 e 22 de fevereiro, às 21h30. Esta nova criação teatral conta com música ao vivo, em formação orquestral, dirigida pelo reconhecido Maestro Cesário Costa.

A “Reconquista de Olivenza” é o novo espetáculo que junta o dramaturgo e encenador Ricardo Neves-Neves e o pianista e compositor Filipe Raposo, depois de “Banda Sonora”. A história de Olivenza, parcela alentejana do território português ocupada em 1801 por Espanha, conta-se em palco num exercício pleno de fantasia e humor sobre o Poder e a Política. Uma comédia, comandada por sete bolas de cristal e onde não faltam uma Rainha-Mãe de Portugal materialista-reducionista, um dragão voador profético, gémeos herdeiros, bolas de Berlim do Califa, infantes espanhóis, uma enviada especial chinesa, Mary Poppins e até Nossas Senhoras que leem tarot. Como se diz em cena, “tragam os canhões, as baionetas, as bestas e as catapultas. Estamos de partida! Todos pela Ponte 25 de Abril, seguindo pelo Alentejo até Olivenza”.

Esta criação é uma coprodução do Cineteatro Louletano, Teatro do Eléctrico, Culturproject e São Luiz Teatro Municipal. O Teatro do Eléctrico é uma estrutura financiada por República Portuguesa – Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes e pelo Município de Loulé.

O espetáculo tem a duração de 90 minutos, dirige-se a maiores de 12 anos e o ingresso tem um custo associado de 10 euros, passando para 8 euros no caso dos maiores de 65 e menores de 30 anos, com Cartão de Amigo aplicável.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Comentários fechados em Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo apresentam “A Reconquista de Olivenza” no Cineteatro Louletano

Teatro das Figuras celebra 15ª aniversário com “15 Anos, 15 Momentos”

Publicado em 04 Fevereiro 2020 por RUA FM

Em 2020, o Teatro das Figuras completa 15 anos de existência.

Para assinalar este percurso o mote da programação para 2020 é precisamente os 15 anos do Teatro.

15 momentos programáticos que dada a sua especificidade ou a sua exclusividade vão servir de âncora a toda a programação do ano.

Neste primeiro quadrimestre destaque para o concerto de Tindersticks, o projeto de teatro/dança FiT (IN), uma coprodução do Teatro com o LAMA, companhia teatral de Faro, o bailado Romeu e Julieta uma coprodução do Teatro com o Quorum Ballet e a Orquestra Clássica do Sul que vai ter a sua estreia absoluta em março de 2020, o concerto com a cantora Gal Costa e um projeto de teatro comunitário, que vai ter a sua estreia absoluta em abril.

Da programação faz igualmente parte o ciclo “Às Quintas no Teatro” e, durante 2020, a aposta vai também para o ciclo de fado cujos nomes deste quadrimestre vão ser Carminho e Camané com Mário Laginha.

Dos 15 momentos que, durante o ano de 2020, vão assinalar os 15 anos do Teatro das Figuras, destaca-se: Tindersticks, FIT (In); Romeu e Julieta pelo Quorum Ballet & Orquestra Clássica do Sul, Gal Costa, Teatro de Vizinhos; Filipe Raposo & Orquestra Clássica do Sul; Mica Paprika; As Cortes de Faro, comemorações do 15º aniversário com a atuação da London Symphony Orchestra; Festival Dance, Dance, Dance; Integral das sinfonias de Beethoven; Atlântico de Tiago Cadete; Circo Contemporâneo; programação infantojuvenil e programação paralela.

Comentários fechados em Teatro das Figuras celebra 15ª aniversário com “15 Anos, 15 Momentos”

Festival encontros do DeVIR regressa a 13 de março

Publicado em 03 Fevereiro 2020 por RUA FM

A 6ª edição dos Encontros do DeVir, que se realiza entre 13 de março e 30 de maio, apresenta 24 atividades, entre espetáculos, exposições, colóquios e performances em vários espaços dos concelhos de Faro, Loulé e Lagos. Este ano a programação do festival é concebida em torno do tema “resgate”, uma vez que recupera obras e criadores que são marcos da história da dança contemporânea nacional e internacional, presta homenagem à coreógrafa alemã Pina Bausch e ainda propõe uma reflexão sobre diferentes caminhos para resgate do Planeta.

A maior parte dos espetáculos são apresentados em dupla.

Este festival temático tem o propósito de pensar o nosso território, aliando o social ao cultural, o ecológico, o científico e político ao artístico, recorrendo ao trabalho de investigadores e cientistas e a encomendas de criação a escritores, a artistas das Artes Visuais e a criadores das Artes do Espectáculo, afirma José Laginha, diretor artístico dos encontros do DeVIR.

 

A Sagração da Primavera

A abrir o festival no dia 13 de março, no Centro de Artes Performartivas em Faro, vão ser apresentadas duas versões de Sagração da Primavera, célebre tema do compositor Igor Stravinsky: uma pelo conceituado coreógrafo francês Xavier Le Roy, cuja estreia decorreu na Bienal de Veneza em 2018; e outra pelo criador espanhol Roger Bernat, em que os espectadores são os protagonistas do espectáculo.

No dia 2 de maio, no Teatro Municipal de Faro, é apresentado SACRE, uma versão atípica do coreógrafo israelita Emanuel Gat, que prova que é possível dançar salsa com a música de Stravinsky.

Este espectáculo é constituído por SACRE e mais 3 duetos: Milena & Michael, Sara & Thomas e Geneviève & Karolina, três reflexões sobre o acto de dançar.

 

A homenagem a Pina Bausch

O ciclo Pina Bausch é uma homenagem a uma das maiores coreógrafas e bailarinas do século XX.

Deste ciclo faz parte Nelken Line, um workshop dirigido à comunidade onde todos, com ou sem experiência, podem experimentar dançar Pina Bausch. Esta é uma acção realizada em espaços públicos de Faro, Loulé e Quarteira, que aproveita as paisagens urbanas e rurais, transformando-as em cenários de criação, cujo resultado final será apresentado no dia 14 de março no Cine-Teatro Louletano, em Loulé.

 

Seguidamente, Raphaëlle Delaunay, ex-bailarina do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch, apresenta Debout!, uma obra com claras referências ao trabalho com Bausch enquanto sua intérprete, que levanta questões como: qual o papel do bailarino/intérprete no trabalho desenvolvido com os coreógrafos?

A bailarina vai ainda encontrar-se com o público antes do espetáculo.

Para melhor conhecer o trabalho da coreógrafa alemã desaparecida em 2009, vão ainda ser exibidos os filmes “Sagração da Primavera” e “Pina”, filme realizado por Wim Wenders.

O resgate de obras icónicas da dança contemporânea de diferentes países

No dia 27 de março no Teatro das Figuras, em Faro, Vera Mantero regressa ao festival para apresentar Talvez ela pudesse dançar primeiro e pensar depois, um espetáculo de 1991 que marcou decisivamente o percurso da coreógrafa portuguesa.

Logo de seguida o libanês Bassam Abou Diab apresenta Under the Flesh, obra que narra as vivências de um povo em guerra desde 1993 e que questiona os movimentos migratórios políticos que têm como destino a Europa.

Doze anos depois da sua primeira apresentação em Portugal, é apresentado Beautiful Me, um solo do coreógrafo e bailarino sul-africano Gregory Maqoma, que partilha palco com quatro músicos que prometem contagiar o público com a sua música africana. Este espetáculo conta ainda com a leitura de um texto inédito de João Tordo sobre o resgate em resposta a uma encomenda destes encontros, com ilustração de Bruno Mantraste em tempo real. Beautiful Me é um espetáculo para ver nos dias 3 de abril em Loulé e no dia 4 de abril em Lagos.

Do Brasil chega-nos Entre contenções, um solo de Eduardo Fukushima, ele que é um dos mais premiados coreógrafos da dança contemporânea brasileira. Depois Francisco Camacho apresenta O Rei no exílio — remake, a reposição de um solo marcante da dança contemporânea portuguesa, que se centra na figura de D. Manuel II, o último Rei de Portugal, e que faz o retrato dum país por vezes irónico, por vezes controverso, mas onde a solidão é permanente.

No dia 9 de maio, no Cine-Teatro Louletano, é apresentado ANIMALE, uma obra que estreou no Festival de Veneza em 2018 e com a qual Francesca Foscarini recebeu o prémio de coreógrafa emergente. Animale é o resgate da natureza e do humano no que tem de sublime e de animalesco, é a dança no absoluto. No mesmo dia, a coreógrafa suíça Tabea Martin apresenta Dueto para dois bailarinos, uma criação sobre a liberdade de escolha, onde dois homens procuram encontrar-se nas muitas perguntas que assaltam os intérpretes de dança contemporânea.

 

A era do Antropoceno: caminhos de transformação para o resgate do Planeta

No dia 21 de março vai ser apresentado em Faro Retrospective, de Jérôme Bel, um dos mais desconcertantes e surpreendentes criadores do nosso tempo. Este espetáculo, que estreou no Festival de Outono 2019, em Paris, é um manifesto contra as alterações climáticas e conta ainda com a leitura de um texto inédito de Jacinto Lucas Pires sobre o tema do festival e com a ilustração em tempo real de Marc Parchow.

 

Ainda neste contexto, vai realizar-se um colóquio e um atelier para reflectir sobre a era do Antropoceno e mostrar caminhos de transformação para o resgate do Planeta, particularmente no território português, envolvendo o público, investigadores, cientistas e fotógrafos.

 

As atividades paralelas

Paralelamente à apresentação dos espectáculos, vão ser desenvolvidas um conjunto de acções de formação, encontros/conversas com criadores, colóquios, percursos e visitas acompanhadas na Serra do Caldeirão e na Ilha da Culatra, e eventos onde se analisará, sob diversos pontos de vista, o tema do Festival.

Programação completa no site oficial do festival.

Comentários fechados em Festival encontros do DeVIR regressa a 13 de março

DiVaM 2020 com candidaturas abertas

Publicado em 30 Janeiro 2020 por RUA FM

Já se encontram abertas as candidaturas para a programação DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – para o ano de 2020, da Direção Regional de Cultura do Algarve sob o mote “Direitos Humanos, Igualdade e Não Discriminação”.

De acordo com a Direção Regional de Cultura do Algarve, mesmo nas democracias mais consolidadas vê-se o reaparecimento de movimentos extremistas, de violência e de incitamento ao ódio, que tendem a bipolarizar as sociedades e a normalizar um discurso que ataca as minorias.

Quais as responsabilidades das entidades culturais naquilo que é o pensamento, o debate e a prática, no âmbito da nossa vida em comum, na nossa região e no mundo? Como pode o património e a dinamização desse património ajudar a dar resposta às violações de direitos humanos, que acontecem todos os dias e tão perto de nós?

Estas são algumas das questões que a Direção Regional de Cultura do Algarve coloca.

Reforçando o propósito iniciado em anos anteriores, o DiVaM pretende continuar a promover os princípios basilares da “Convenção de Faro” com a participação ativa das comunidades envolventes na criação cultural e no debate real e sério sobre questões e problemáticas relevantes e pertinentes na atualidade.

Tendo “Direitos Humanos, Igualdade e Não Discriminação” como tema central do DiVaM 2020 e apelando à inclusão das comunidades no processo de construção de novos projetos culturais, a Direção Regional de Cultura do Algarve convida todas as associações culturais da região algarvia, à apresentação de candidaturas para a programação do DiVaM 2020, até ao dia 29 de fevereiro.

Mais informações podem ser consultado nos documentos em anexo:

– Normas regulamentares

– Formulário de candidatura

Comentários fechados em DiVaM 2020 com candidaturas abertas

4ª edição das Jornadas do Contrabando realizam-se dia 14 de fevereiro em Alcoutim

Publicado em 23 Janeiro 2020 por RUA FM

No próximo dia 14 de fevereiro, das 10h000 às 18h00, os municípios de Alcoutim e de Sanlúcar de Guadiana irão organizar as quartas jornadas do contrabando em Alcoutim, tendo-se alargado o tema às memórias de fronteira, mas também aos estudos do património rural edificado e imaterial.

Alcoutim é uma vila raiana localizada na serra algarvia, frente a Sanlúcar de Guadiana (Andaluzia – Espanha). Esta fronteira luso-espanhola é uma das mais antigas da Europa e conta com séculos de história que marcam a identidade das populações locais.

O contrabando foi a “arte” de comercializar às escondidas da lei e entendido pelas populações como um mundo de oportunidades, que dava resposta às necessidades e dificuldades das gentes da raia. Com a abertura da fronteira este contrabando “tradicional” deixou de fazer sentido, fechando-se um ciclo. Nos nossos dias urge registar memórias, conhecer e estudar um vasto espólio imaterial ligado a este fenómeno. As gerações que viveram o contrabando “tradicional” estão a desaparecer. Com eles perdemos um manancial de conhecimentos, passados entre gerações, de pais para filhos e de avôs para netos, que fazem parte da cultura das gentes.

Entre as ideias que irão ser debatidas estarão o reconhecimento e a valorização de uma identidade local própria com ligação à fronteira, entender as necessidades locais e o contributo do contrabando para a sobrevivência das populações, a importância de uma rede de contatos e relações familiares na ligação entre margens e a valorização das memórias e do património do contrabando na perspetiva da promoção turística do território.

As jornadas este ano irão realizar – se um mês e meio antes do Festival do Contrabando e servirão de lançamento do programa do evento. No dia 14 às 21h30, será apresentado o espetáculo de Lançamento do Festival do Contrabando “Evaristo, Um Clássico nunca Visto”, pela Companhia Profissional de Teatro de Improviso Instantâneos, 21h30, no Espaço Guadiana, na vila de Alcoutim.

Comentários fechados em 4ª edição das Jornadas do Contrabando realizam-se dia 14 de fevereiro em Alcoutim

O novo cinema da América Latina em Loulé

Publicado em 21 Janeiro 2020 por RUA FM

Vai ter lugar entre 23 e 26 de janeiro, em Loulé, a 10.ª edição da Mostra de Cinema da América Latina, que este ano se realiza no Auditório do Solar da Música Nova.

Depois da sua exibição no Cinema São Jorge em Lisboa (entre os dias 12 e 17 de dezembro), Loulé é a primeira e única cidade que acolhe este evento a nível nacional.

A Mostra, cuja coordenação pertence à Casa da América Latina (Lisboa) em parceria com o Cineteatro Louletano, comemora uma década. São dez anos a mostrar a atualidade e diversidade fílmicas, o talento dos autores latino-americanos. Dez anos que permitem observar a intensidade dos processos sociais da América Latina e de como o seu panorama cinematográfico junta história, memória e imaginação, para partilhar com o público a sua leitura artística e cívica.

Em Loulé, a 23 de janeiro, quinta-feira, pelas 21h00, a Mostra abre com o filme argentino “La Reina Del Miedo”, que retrata a vida de uma das atrizes mais aclamadas da Argentina, Robertina. Em vésperas de apresentar o seu novo espetáculo viaja e, longe de casa, a atriz coloca em perspetiva toda a sua vida, deixando-se levar por uma diretriz que alterará a sua existência para sempre. A autoria do filme pertence à atriz principal Valeria Bertucelli, e este foi premiado com vários galardões na Europa e no Brasil.

No dia 24, sexta-feira, também pelas 21h00, é projetado “Yuli”, que conta a história de vida de Carlos Acosta, bailarino cubano que dançou para prestigiadas companhias de ballet e foi bailarino permanente do The Royal Ballet entre 1998 e 2015. Com argumento de Paul Laverty, “Yuli” conta com a interpretação do próprio Carlos Acosta no papel principal. A obra venceu o Prémio do Júri para Melhor Argumento no Festival de San Sebastían, em 2018; teve cinco nomeações para os Prémios Goya 2019; e ganhou o Prémio Platino 2019 para melhor música original.

Durante o fim de semana, sábado e domingo, haverá lugar a duas projeções diárias, uma matiné, pelas 17h00, e outra às 21h00.

Assim, no sábado à tarde, é altura de assistir a “Nina Errante”, um filme colombiano, de Rúben Mendonza, que retrata a vida de Ângela e três meio-irmãs mais velhas, filhas do pai acabado de falecer. A morte do progenitor permite que as quatro se conheçam, sendo que as irmãs levam Ângela numa grande viagem para que fique aos cuidados de uma tia. Nesta deslocação movida pela perda, em pleno despertar da adolescência, a protagonista descobre a existência da feminidade, da sensualidade, dos mistérios do prazer e da dor do corpo, da desgraça e do desafio que representa ser mulher nestes caminhos. A película foi várias vezes premiada internacionalmente.

“Perro Bomba”, de Juan Cáceres, é o filme que se segue ao serão (21h00) de sábado no Auditório do Solar da Música Nova. Trata-se da história de Stevens, um jovem haitiano a viver no Chile, onde tem uma vida simples e estável até ao dia em que agride o seu chefe. A atitude é reprovada pela comunidade e Stevens passa a ser alvo de atos de xenofobia.

“Winaypacha”, de Óscar Catacora, e “Los Silencios”, de Beatriz Seigner, são as películas que encerram esta Mostra, no domingo, dia 26 de janeiro.

“Winaypacha”, que terá projeção às 17h00, é um filme sobre um casal de anciãos, com mais de 80 anos, que vive abandonado num lugar remoto dos Andes do Peru, a mais de cinco mil metros de altitude. Enfrentando a miséria e o inclemente passar do tempo, o casal vive na esperança de ver chegar o seu único filho.

Pelas 21h00, “Los Silencios” conta a história de uma família colombiana que, para fugir aos conflitos armados do seu país, se refugia numa ilha desconhecida, na fronteira entre o Brasil, a Colômbia e o Peru. Naquele lugar estranho e povoado de mistérios surge um segredo que é importante manter.

Segundo a organização, nesta edição da Mostra de Cinema da América Latina, continua-se a verificar que – apesar da diversidade de território e género – surge um sentido de busca por identidade, sonho e progresso. Com histórias de coragem e de liberdade, dando conta de lutas individuais e coletivas, continua-se a sonhar a paz, a reconciliação e a esperança.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Comentários fechados em O novo cinema da América Latina em Loulé

Cine-Teatro Louletano celebra 90 anos com programação diferenciadora a sul e renovada imagem

Publicado em 16 Janeiro 2020 por RUA FM

Em 2020 o Cineteatro Louletano comemora 90 anos de percurso cultural e de inquietação criativa. A par de uma renovada imagem, acabou de ser anunciada publicamente a programação artística para a temporada que decorre entre janeiro e julho deste ano. Mais uma vez, há uma forte aposta numa oferta exigente, eclética e diferenciadora, que tem vindo a posicionar este equipamento como uma referência a sul do país. Continuando a contemplar as áreas da Música, Teatro, Dança e do Multidisciplinar, o Cineteatro dará especial atenção às vertentes da Formação e do Pensamento, bem como ao estímulo e envolvimento do tecido artístico local/regional, privilegiando as encomendas e as coproduções, também aqui com a inclusão de diversos artistas e companhias de renome nacional.

A área do Teatro será o universo dominante durante todo o ano de 2020, não só com várias peças das quais o Cineteatro é coprodutor (todas em estreia a sul do país), como também com mostras e festivais, quer ainda através de um novo ciclo programático estruturante que atravessará toda a agenda dos próximos dois anos (2020-2021), denominado “Implikação”, o qual prevê não só a apresentação de espetáculos mas também todo um trabalho paralelo de mediação e pensamento em torno das temáticas dos mesmos que incluirá debates com reputados convidados, performances, visionamento e comentário de filmes e workshops com alunos e docentes do ensino secundário do concelho de Loulé.

No primeiro semestre deste ano este ciclo abre com a peça “Canto da Europa”, de Jacinto Lucas Pires, a 7 de fevereiro, e depois enfoca nas novas tecnologias com o espetáculo “Gulliver” (dirigido à comunidade escolar), do criador algarvio Tiago Cadete, a 9 e 10 de março. Em abril há uma semana intensa dedicada às Fake News (ética, verdade e mentira) que culmina com a estreia a sul da peça “Fake”, da reconhecida dupla Inês Barahona e Miguel Fragata, a 24 de abril. Já em junho, no dia 5, o encenador Tiago Correia apresenta a peça “Turismo”, no seguimento de uma residência realizada em 2019 em Loulé e noutras cidades (Porto e Barcelona) centrada num projeto de investigação sobre o tema da Gentrificação. Por fim, e de forma propositadamente simbólica, o Cineteatro encerra a primeira temporada a 23 de junho com um inquietante espetáculo que cruza dança e performance, de David Marques, “Mistério da Cultura”, e que enfoca na questão da burocracia e dos financiamentos na área cultural em Portugal. Paralelamente a estes espetáculos, haverá debates sobre as temáticas dos mesmos com reconhecidos nomes como Luís Osório, Viriato Soromenho-Marques, Carlos Albino, Filipe da Palma, Rosa Veloso, João Guerreiro, Teresa Valente, Tiago Correia, Jacinto Lucas Pires e Eglantina Monteiro.

Mas a oferta teatral não se fica por aqui. Além da 2.ª edição do Tanto Mar – Festival Internacional de Artes Performativas de Loulé, uma coprodução da associação Folha de Medronho com o Município de Loulé, a qual se centra no diálogo com África e o Brasil (entre 5 e 7 de março), e dos Cenários – Mostra de Teatro de Loulé, que decorrem entre 17 e 22 de março no palco do Cineteatro, uma das grandes apostas da programação vai para a peça “Perfil Perdido”, de Marco Martins, com a dupla Beatriz Batarda (atriz) e Romeu Runa (bailarino), a qual promete ser uma das criações portuguesas mais cativantes de 2020 depois da auspiciosa estreia mundial em Istambul na Turquia em finais de 2019. “Perfil Perdido” terá duas apresentações em Loulé, a 15 e 16 de maio. Não faltam ainda duas imperdíveis criações de Ricardo Neves-Neves: “A Reconquista de Olivenza” (com Filipe Raposo), a 21 e 22 de fevereiro; e a reposição da “Soberana” (encomenda do Cineteatro em 2019), em parceria com Ana Lázaro, agora num total de quatro apresentações nos dias 10 e 11 de abril.

No plano musical, destacam-se, em estreia absoluta a sul, os concertos de tributo a António Variações (com a banda do filme liderada pelo ator Sérgio Praia) a 1 de fevereiro, bem como a Chico Buarque com um coletivo de reputados músicos brasileiros no dia 21 de abril, quatro dias antes de Buarque rumar a Lisboa para receber o Prémio Camões, o mais importante prémio da língua portuguesa. A estreia a sul do novo disco de Cristina Branco, “Eva”, a 19 de junho, vem no seguimento da residência artística que a reconhecida e singular intérprete realizou em Loulé em outubro deste ano. No âmbito do programa cultural 365 Algarve, são de sublinhar a 4.ª edição do Festival Internacional de Piano do Algarve, que junta o reputado Pedro Burmester aos pianistas Miguel Borges Coelho e Hugo Peres (a 16 de fevereiro), e o concerto em que a prestigiada cantora norte-americana Jane Monheit atua com a Orquestra de Jazz do Algarve (31 de maio).

Ainda na vertente da música erudita, destaque para os vários formatos que a Orquestra Clássica do Sul irá dinamizar, e que passam, em grande medida, pelos “Concertos Promenade” a pensar nas famílias e por um concerto pedagógico dirigido à comunidade escolar. O estímulo e envolvimento dos artistas do concelho de Loulé e da região constituem igualmente uma tónica desta programação, com vários espetáculos previstos, muitos deles de apresentação de discos, como sejam os casos de João Frade, André Cardoso, Perigo Público & Sickonce ou Bruno Maliji, somando-se ainda as participações do cantor e pianista Ricardo Martins (no Jantar de São Valentim) e da Academia IluminArte, que irá fazer uma mostra dos trabalhos desenvolvidos pela Associação Artística Satori.

O campo da Dança Inclusiva estará em grande destaque em abril, sendo uma nova aposta programática do Cineteatro, arrancando logo com uma colaboração regular entre este equipamento e o reconhecido e premiado projeto “Dançando com a Diferença”, sediado na Madeira. Pretende-se criar uma dinâmica colaborativa que permita envolver as instituições louletanas que trabalham com pessoas com deficiência, e investir num trabalho artístico que junte as mesmas a pessoas sem deficiência. A realização de laboratórios, debates e formações em torno desta temática passará a ser uma prioridade da agenda do Cineteatro. Mas a dança tem outras frentes de interesse: além das várias propostas nacionais e internacionais de reconhecida qualidade integradas nos VI Encontros do DeVIR – resgate, da nova criação “Diz-me, António”, da Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e da 20.ª edição do Festival Al-Mutamid, também é a linguagem coreográfica que vai encerrar a temporada do Cineteatro a 23 de junho: “Mistério da Cultura”, de David Marques, num cruzamento entre dança e performance para falar das danças e contradanças da burocracia associada aos apoios/financiamentos ao universo artístico.

A encomenda continua a ser muito privilegiada pela estratégia do Cineteatro e nesta temporada – numa lógica de retoma do ciclo “O Longe é Aqui”, o qual se destacou nos últimos anos por juntar, em espetáculos inéditos, músicos locais a reconhecidos artistas nacionais – o Trio de Jazz de Loulé encontra-se com Jorge Palma a 25 de abril (reinventando canções ligadas ao canto de intervenção numa abordagem jazzística). Já em maio, nas vésperas do feriado municipal (20 de maio), é a vez de a internacionalmente reconhecida cantora Sofia Escobar atuar com um ensemble de docentes do Conservatório de Música de Loulé – Francisco Rosado num repertório a que os musicais darão o mote. Soma-se o desafio lançado ao prestigiado contrabaixista Carlos Bica para operar uma releitura na obra de Beethoven (em 2020 comemoram-se 250 anos sobre o seu nascimento), juntando-se a ele dois músicos alemães (no saxofone e eletrónica) e o pianista João Paulo Esteves da Silva numa abordagem arrojada e experimental, que acontecerá em dose dupla a 29 e 30 de maio em estreia nacional.

Para a comunidade escolar, e além do espetáculo “Gulliver” e do envolvimento do ensino secundário no ciclo “Implikação”, é apresentada, em estreia a sul, a criação “O convidador de pirilampos” (para maiores de 6 anos), do reconhecido António Jorge Gonçalves. A aposta continuada na Arte para a Infância – outra prioridade do Cineteatro desde 2016 – reflete-se ainda na presença muito destacada da dimensão formativa nesta grelha de programação, de modo quer a envolver as instituições públicas e privadas que desenvolvem dinâmicas e projetos nesta área, quer a capacitar e qualificar ainda mais os profissionais do concelho e da região que trabalham com os mais pequenos, dada também a diminuta oferta formativa existente a sul até há bem pouco tempo.

Além da Arte para a Infância, da Dança Inclusiva e das encomendas musicais com músicos algarvios e outros de renome nacional, um quarto vetor estratégico da programação do Cineteatro tem consistido nos cruzamentos interdisciplinares entre Música e Imagem, e, paralelamente, nas abordagens exploratórias à Arte Sonora. 2020 traz consigo a 5.ª edição do Som Riscado – Festival de Música e Imagem de Loulé entre 26 e 29 de março, com diversos concertos, debates, instalações interativas e formações de referência a sul do país, dirigidos não só a públicos minoritários mas também a um universo mais alargado de destinatários, com especial enfoque nas crianças/jovens (estudantes) e famílias, e numa parceria estreita com vários agentes culturais e educativos do concelho e da região.

O Cinema também não é esquecido, com vários eventos de referência: não apenas a Monstrare – Mostra Internacional de Cinema Social, como também a Mostra de Cinema da América Latina (de 23 a 26 de janeiro) e depois, em maio, a já habitual Festa do Cinema Italiano. Soma-se ainda, em 2020, um debate e visionamento de filme sobre Nova Inteligência a 15 de março, no âmbito da Human XXI – Bienal do Humanismo de Loulé.

Para o dia 19 de abril, quando o Cineteatro comemora 90 anos, a dança dos anos 30, 40, 50 e 60 invade o palco e todos são convidados a dançar e a brindar ao seu aniversário, com a participação especial da Orquestra de Jazz do Algarve num ambiente descontraído e contagiante, com entrada livre.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou online através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

Comentários fechados em Cine-Teatro Louletano celebra 90 anos com programação diferenciadora a sul e renovada imagem

Festival F e Açoteia – Faro Rooftop Festival juntam-se aos maiores promotores de festivais no movimento “DeclareAção”

Publicado em 15 Janeiro 2020 por RUA FM

Entidades promotoras de espetáculos, festivais e eventos em Portugal juntam-se para lançar a primeira declaração que, para assinar, é preciso agir. Este movimento de nacional tem como objetivo consciencializar e convocar a sociedade para a mudança de comportamentos.

O movimento, inspirado no ano de “Lisboa Capital Verde Europeia”, irá mobilizar jovens de todo o país para definir ações que façam do mundo um lugar melhor, dando assim origem à primeira declaração de atitudes que todos poderão “assinar” ao colocá-las em prática. 

Pela primeira vez, as entidades promotoras de espetáculos, festivais e eventos em Portugal juntam-se para lançar uma iniciativa de âmbito nacional. DeclareAção é a primeira declaração em que para “assinar” é preciso agir. O movimento inédito, apresentado esta manhã na Câmara Municipal de Lisboa, surge no ano da Capital Verde Europeia 2020 e visa desafiar a comunidade nacional a adotar comportamentos em prol de uma sociedade mais justa e equilibrada, utilizando as plataformas digitais e o seu potencial mobilizador como principal canal de convocação.

O movimento nacional de consciencialização por um mundo melhor é lançado por 15 entidades, das quais fazem parte a Better World (promotora do Rock in Rio), Câmara Municipal de Loulé (organizadora do Festival MED), Câmara Municipal de Sines (promotora do FMM Sines), Everything is New (promotora do NOS Alive), Live Experiences (responsável pelo EDPCOOLJAZZ e ID NO LIMITS), MOT (organizadora do RFM SOMNII), Música no Coração (promotora dos festivais Galp Beach Party, Super Bock Super Rock, Super Bock em Stock, MEO Sudoeste, Sumol Summer Fest), PEV (promotora do MEO Mares Vivas), Pic Nic (promotora do NOS Primavera Sound), Ritmos (promotora do Vodafone Paredes de Coura), Câmara Municipal de Faro (organizadora do Açoteia – Faro Rooftop Festival e Festival F) e Sons em Trânsito (Festival F), Surprise & Expectation (EDP Vilar de Mouros), APEFE e APORFEST, desafiando agora empresas e entidades públicas e privadas, de todos os setores, a juntarem-se à causa.

Para criar esta “declaração de ações” as entidades irão desafiar jovens lideranças de todo o país para um workshop do qual resultarão 17 atitudes. Essas atitudes, baseadas nos ODS da ONU (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), focar-se-ão em áreas tão distintas como as alterações climáticas, a diversidade, a inclusão social, o desenvolvimento económico, a reciclagem, entre outras, cumprindo todas elas com a premissa de contribuírem ativamente para a construção de um mundo melhor.

O processo de seleção destes jovens passará por três fases. Na primeira, será levada a cabo uma pesquisa de metodologia quantitativa e qualitativa, com validação etnográfica, para identificação dos perfis de jovens líderes com voz ativa nas suas comunidades. Identificados esses jovens, com idades compreendidas entre os 16 e os 30 anos, serão selecionados cerca de 30, oriundos de diferentes distritos do país, de diferentes géneros, nacionalidades, classes sociais e nível de formação. Numa terceira etapa, o coletivo de jovens então formado será desafiado num Workshop com metodologia Torke CC (comprovada em mais de 300 workshops, em 14 países diferentes), onde de forma colaborativa trabalharão o desenvolvimento das “atitudes” com base nas ODS. Os jovens que se queiram voluntariar para participar no processo de definição das atitudes poderão fazê-lo através do email participa@declareacao.com, até 31 de janeiro.

A seleção dos jovens, assim como o workshop, decorrerá já no próximo mês de fevereiro, sendo estando a divulgação das 17 atitudes agendada para o início de março. É nesta altura que as atitudes então definidas pelo coletivo de jovens serão transformadas em GIFs, a serem utilizados como “assinatura” digital da DeclareAção. Ao mesmo tempo será lançada uma landing page que funcionará como hub agregador das boas atitudes, onde se reúnem todas as ações que vierem a ser implementadas por empresas, escolas, influenciadores e pelo público em geral, partilhadas nas redes sociais e utilizando os GIFs e o hashtag #DeclareAcao.

Recorde-se que em 2019 se realizaram 287 festivais de música só em Portugal, acumulando um total de 2,1 milhões de visitantes. A par com este estudo, dados da Forbes indicam que 94% da Geração Z afirma que a música é muito importante na sua vida, enquanto 45% afirma que o seu artista preferido influencia o seu estilo de vida. Já dados do Spotify revelam que 79% dos utilizadores acredita que a música permite às pessoas conectarem-se entre si e com outras culturas. Torna-se, com isto, evidente o potencial influenciador e transformador dos festivais nas comunidades locais e nacionais onde ocorrem, assim como a responsabilidade de assumirem uma atitude positiva e que contribua para a construção de um mundo melhor. 

Para o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro, ficou bem patente na sua intervenção durante a cerimónia de apresentação do projeto que estas premissas são já uma preocupação do evento: “o Festival F é organizado partindo de um imenso respeito pelo património natural e histórico. Em 2019 para além de olharmos para a Ria, entrámos na Ria, com um concerto diário a bordo de um barco ecológico”, enfatizou Paulo Santos.

O Festival F não podia deixar de se associar ao projeto DeclareAção. Organizar um festival que se implanta no centro histórico, integra e anima o património edificado da cidade, envolve os seus residentes e visitantes e abraça um parque natural é certamente um desafio do ponto de vista da sustentabilidade. O Festival F quer crescer e afirmar-se nesta área garantindo a redução e separação dos resíduos produzidos, a utilização de copos recicláveis, a minimização do recurso a materiais de utilização única, oferta de transporte público e dedicado, mas também na criação de condições para que todos os públicos, independentemente das suas limitações, possam fruir deste festival único.”

Paulo Santos, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro, e Vasco Sacramento, Sons em Trânsito (Festival F)

Faro conta ainda com outro evento associado a este manifesto que é o Açoteia – Faro Rooftop Festival em que “um dos principais pilares é justamente a sustentabilidade, para além da comunidade e da arte, convida a olhar a cidade de uma perspectiva diferente. Faro apresentou uma candidatura ao Europa Criativa que propõe pensar as cidades a partir de cima”, explicou Paulo Santos.

“Para o Açoteia – Faro Rooftop Festival, um evento que tem na Sustentabilidade um dos seus grandes pilares, a par da Comunidade e da Arte, fazer parte de um projeto como o DeclareAção é estar no seu “ambiente natural”. É sob estes prismas que o Açoteia convida a redescobrir as açoteias da cidade de Faro e a inspirar a criação de uma nova visão para estes locais: nas áreas da eficiência energética, reutilização de águas, criação de hortas urbanas, mas também na abertura daqueles espaços à comunidade, tendo na arte a forma de criar uma nova interpretação dos mesmos e uma nova perspetiva sobre a cidade.”

Paulo Santos, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro (Açoteia – Faro Rooftop Festival)

Comentários fechados em Festival F e Açoteia – Faro Rooftop Festival juntam-se aos maiores promotores de festivais no movimento “DeclareAção”

Festival MED integra o movimento “DeclareAção”

Publicado em 15 Janeiro 2020 por RUA FM

Pela primeira vez, as entidades promotoras de espetáculos, festivais e eventos em Portugal juntam-se para lançar uma iniciativa de âmbito nacional. DeclareAção é a primeira declaração em que para “assinar” é preciso agir. O movimento inédito, apresentado esta manhã na Câmara Municipal de Lisboa, surge no ano da Capital Verde Europeia 2020 e visa desafiar a comunidade nacional a adotar comportamentos em prol de uma sociedade mais justa e equilibrada, utilizando as plataformas digitais e o seu potencial mobilizador como principal canal de convocação.

O movimento nacional de consciencialização por um mundo melhor é lançado por 15 entidades, das quais fazem parte a Better World (promotora do Rock in Rio), Câmara Municipal de Loulé (organizadora do Festival MED), Câmara Municipal de Sines (promotora do FMM Sines), Everything is New (promotora do NOS Alive), Live Experiences (responsável pelo EDPCOOLJAZZ e ID NO LIMITS), MOT (organizadora do RFM SOMNII), Música no Coração (promotora dos festivais Galp Beach Party, Super Bock Super Rock, Super Bock em Stock, MEO Sudoeste, Sumol Summer Fest), PEV (promotora do MEO Mares Vivas), Pic Nic (promotora do NOS Primavera Sound), Ritmos (promotora do Vodafone Paredes de Coura), Sons em Trânsito e Câmara Municipal de Faro (organizadores do Festival F), Surprise & Expectation (EDP Vilar de Mouros), APEFE e APORFEST,

desafiando agora empresas e entidades públicas e privadas, de todos os setores, a juntarem-se à causa.

Para criar esta “declaração de ações” as entidades irão desafiar jovens lideranças de todo o país para um workshop do qual resultarão 17 atitudes. Essas atitudes, baseadas nos ODS da ONU (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), focar-se-ão em áreas tão distintas como as alterações climáticas, a diversidade, a inclusão social, o desenvolvimento económico, a reciclagem, entre outras, cumprindo todas elas com a premissa de contribuírem ativamente para a construção de um mundo melhor.

O processo de seleção destes jovens passará por três fases. Na primeira, será levada a cabo uma pesquisa de metodologia quantitativa e qualitativa, com validação etnográfica, para identificação dos perfis de jovens líderes com voz ativa nas suas comunidades. Identificados esses jovens, com idades compreendidas entre os 16 e os 30 anos, serão selecionados cerca de 30, oriundos de diferentes distritos do país, de diferentes géneros, nacionalidades, classes sociais e nível de formação. Numa terceira etapa, o coletivo de jovens então formado será desafiado num Workshop com metodologia Torke CC (comprovada em mais de 300 workshops, em 14 países diferentes), onde de forma colaborativa trabalharão o desenvolvimento das “atitudes” com base nas ODS. Os jovens que se queiram voluntariar para participar no processo de definição das atitudes poderão fazê-lo através do email participa@declareacao.com, até 31 de janeiro.

A seleção dos jovens, assim como o workshop, decorrerá já no próximo mês de fevereiro, sendo estando a divulgação das 17 atitudes agendada para o início de março. É nesta altura que as atitudes então definidas pelo coletivo de jovens serão transformadas em GIFs, a serem utilizados como “assinatura” digital da DeclareAção. Ao mesmo tempo será lançada uma landing page que funcionará como hub agregador das boas atitudes, onde se reúnem todas as ações que vierem a ser implementadas por empresas, escolas, influenciadores e pelo público em geral, partilhadas nas redes sociais e utilizando os GIFs e o hashtag #DeclareAcao.

Recorde-se que em 2019 se realizaram 287 festivais de música só em Portugal, acumulando um total de 2,1 milhões de visitantes. A par com este estudo, dados da Forbes indicam que 94% da Geração Z afirma que a música é muito importante na sua vida, enquanto 45% afirma que o seu artista preferido influencia o seu estilo de vida. Já dados do Spotify revelam que 79% dos utilizadores acredita que a música permite às pessoas conectarem-se entre si e com outras culturas. Torna-se, com isto, evidente o potencial influenciador e transformador dos festivais nas comunidades locais e nacionais onde ocorrem, assim como a responsabilidade de assumirem uma atitude positiva e que contribua para a construção de um mundo melhor.

Segundo Vitor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, a entidade promotora do Festival Med “O município de Loulé considera a salvaguarda ambiental e a ação climática como a maior responsabilidade do século XXI, pelos impactos e consequências transversais, tanto a nível ambiental, como económico e social e por isso um colossal desafio também no plano local que se impõe encarar. Neste contexto, com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a mudança de comportamentos, tem sido contínuo o trabalho do município em equiparar todas as iniciativas e projetos em curso com essa visão estratégica, exemplo disso o Festival MED, já distinguido pelo «Sê-lo Verde» e pelo facto de ter recebido um Iberian Festival Award pelo «Melhor Contributo para a Sustentabilidade» no contexto ibérico. Em Loulé considera-se que o exemplo e compromisso com a redução do impacto ambiental nos espetáculos, festivais e eventos dará viva voz a um futuro melhor!

Já Roberta Medina, Better World (Rock in Rio) “Nós acreditamos na cultura, na música e no entretenimento como promotores dos valores da sociedade, formadores de opinião e de comportamentos e como mobilizadores da economia do país. Além de assumir os nossos compromissos com a construção de uma sociedade mais saudável e justa, queremos ser multiplicadores de braços e atitudes. O DeclareAção é uma convocatória para que todos – pessoas, empresas, entidades públicas – que desejamos o mesmo, assumamos a responsabilidade pelas escolhas que fazemos no nosso dia-a-dia.”

Comentários fechados em Festival MED integra o movimento “DeclareAção”

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Fev
25
Ter
10:30 Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Fev 25@10:30_18:00
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Até 28 de março a Galeria Trem recebe a Exposição “The eyes are not here”. Inspirado em “The Hollow Men” de T.S. Elliot, o artista Orlando Franco leva o público numa viagem imersiva através da[...]
21:30 “O Filme do Bruno Aleixo” – Cine... @ IPDJ - Faro
“O Filme do Bruno Aleixo” – Cine... @ IPDJ - Faro
Fev 25@21:30_22:45
“O Filme do Bruno Aleixo” - Cineclube de Faro @ IPDJ - Faro
Terça-feira o Cineclube de Faro exibe “O Filme do Bruno Aleixo”. Bruno Aleixo, a personagem cómica que parece uma mistura entre um cão e um ewok (criatura do universo “Star Wars”), tem 62 anos, é[...]
Fev
26
Qua
10:30 Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Fev 26@10:30_18:00
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Até 28 de março a Galeria Trem recebe a Exposição “The eyes are not here”. Inspirado em “The Hollow Men” de T.S. Elliot, o artista Orlando Franco leva o público numa viagem imersiva através da[...]
Fev
27
Qui
10:30 Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Fev 27@10:30_18:00
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Até 28 de março a Galeria Trem recebe a Exposição “The eyes are not here”. Inspirado em “The Hollow Men” de T.S. Elliot, o artista Orlando Franco leva o público numa viagem imersiva através da[...]
21:00 Frankie – Cineclube de Tavira @ Cine-Teatro António Pinheiro - Tavira
Frankie – Cineclube de Tavira @ Cine-Teatro António Pinheiro - Tavira
Fev 27@21:00_22:30
Frankie - Cineclube de Tavira @ Cine-Teatro António Pinheiro - Tavira
Frankie é o filme que o Cineclube de Tavira exibe quinta-feira. Depois de lhe ter sido diagnosticada uma doença terminal, Frankie, uma famosa atriz francesa, decide juntar todos os que lhe são mais próximos para[...]
Fev
28
Sex
todo o dia Festival Out-(In)verno @ Vários
Festival Out-(In)verno @ Vários
Fev 28 todo o dia
Festival Out-(In)verno @ Vários
De sexta a domingo Vila do Bispo recebe o Festival Out-(In)verno. Este evento aborda a localidade pensada na globalidade, apresentando propostas que pensam na nossa identidade e que se dirigem a todos, permitindo que possam[...]
10:30 Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Fev 28@10:30_18:00
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Até 28 de março a Galeria Trem recebe a Exposição “The eyes are not here”. Inspirado em “The Hollow Men” de T.S. Elliot, o artista Orlando Franco leva o público numa viagem imersiva através da[...]
11:00 “À Babuja” em Alte, Loulé e Quar... @ Alte, Loulé e Quarteira
“À Babuja” em Alte, Loulé e Quar... @ Alte, Loulé e Quarteira
Fev 28@11:00_18:00
“À Babuja” em Alte, Loulé e Quarteira @ Alte, Loulé e Quarteira
No fim de semana o LAMA leva a sua peça “À Babuja” a Alte, Loulé e Quarteira. Num dia soalheiro, um homem larga a sua rotina e, inspirado por um livro de aventuras, dá largas[...]
18:00 “Deux Pierres” em Alferce @ Casa do Povo de Alferce - Monchique.
“Deux Pierres” em Alferce @ Casa do Povo de Alferce - Monchique.
Fev 28@18:00_22:30
“Deux Pierres” em Alferce @ Casa do Povo de Alferce - Monchique.
De sexta a domingo a Casa do Povo de Alferce recebe o espectáculo “Deux Pierres”. Uma bruma de onde surgem pequenas personagens sem ligação direta ao quotidiano onde foram feitas… tudo cabe na palma de[...]
21:30 “Diz-me António” no Cineteatro L... @ Cine-Teatro Louletano
“Diz-me António” no Cineteatro L... @ Cine-Teatro Louletano
Fev 28@21:30_23:00
“Diz-me António” no Cineteatro Louletano @ Cine-Teatro Louletano
Sexta-feira, sobe ao palco do Cineteatro Louletano “Diz-me António”. O poema, o corpo, a voz, a música, o público, um público que será voz, um corpo que será poema, um poema feito região. ‘Diz-me, António’[...]
Fev
29
Sáb
10:30 Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Fev 29@10:30_18:00
Exposição “The eyes are not here” @ Galeria Trem - Faro
Até 28 de março a Galeria Trem recebe a Exposição “The eyes are not here”. Inspirado em “The Hollow Men” de T.S. Elliot, o artista Orlando Franco leva o público numa viagem imersiva através da[...]
11:00 “À Babuja” em Alte, Loulé e Quar... @ Alte, Loulé e Quarteira
“À Babuja” em Alte, Loulé e Quar... @ Alte, Loulé e Quarteira
Fev 29@11:00_18:00
“À Babuja” em Alte, Loulé e Quarteira @ Alte, Loulé e Quarteira
No fim de semana o LAMA leva a sua peça “À Babuja” a Alte, Loulé e Quarteira. Num dia soalheiro, um homem larga a sua rotina e, inspirado por um livro de aventuras, dá largas[...]
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões