Arquivo | Cultura

1ª Edição do LUZA Festival em Loulé ambiciona integrar roteiro internacional

Publicado em 22 Novembro 2017 por RUA

Foi apresentada esta terça-feira, 21 de novembro,  no Convento de Stº António, em Loulé, a primeira edição do LUZA Festival, iniciativa que, de 24 a 26 de novembro, irá iluminar a cidade, num evento que ambiciona integrar o roteiro de festivais internacionais de iluminação artística.

Organizado e produzido pela ByBeau e a Eventor’s Lab, com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, e a chancela do Programa 365 Algarve, o LUZA Festival promete 3 dias de grande atividade em plena época baixa do turismo algarvio, numa viagem de luz e som que pretende trazer um projeto inovador e de impacto para a região do Algarve.

Trata-se de um festival de luzes, onde diversos artistas nacionais e estrangeiros terão a oportunidade de mostrar as suas instalações luminosas em pontos específicos da cidade. O LUZA assume-se assim como um projeto independente, afirmando-se pelas suas características intrínsecas de projeto da Arte da Luz.

Beau McClellan, artista e designer escocês residente há vários anos no Concelho de Loulé, com obra feita em termos de iluminação artística por esse mundo fora, é o mentor deste evento. O autor de “Zephirus”, a escultura que ornamenta a Zona Industrial de Loulé, garante que o LUZA é um “festival de experiências, que transportará o visitante para um outro mundo”.

O artista escocês, que convidou outros pares de países como Espanha, Polónia, Reino Unido, México, Japão, Dinamarca ou, naturalmente, Portugal, para produzirem instalações criadas para este momento, referiu que escolha da data de realização do festival teve em vista a integrar o LUZA no roteiro de festivais internacionais de iluminação artística, como Fête des Lumières (Lyon), Glow (Eindhoven), Luci d’artista (Torino), entre outros festivais europeus.

Este será um veículo que permitirá ainda “mostrar ao resto do mundo o talento que existe em Portugal nesta área”, considera Beau McClellan.

Durante os três dias, o público em geral poderá percorrer as ruelas, construções e monumentos de Loulé para vivenciar uma experiência única e iluminada, podendo inclusivamente ter uma participação interativa. Da Ermida da Mãe Soberana, no alto da cidade, ao Coreto da Avenida José da Costa Mealha, vários serão os pontos de animação do evento onde será possível encontrar instalações surpreendentes: Convento de Stº António, Rua da Nossa Senhora da Piedade, Largo de S. Francisco, Igreja de S. Francisco, Praça D. Afonso III, Bicas Velhas, Casa do Castelo, Rua Vice-Almirante Cândido dos Reis, Alcaidaria do Castelo, Cerca do Convento, Claustros do Convento, Mercado Municipal e Cine-Teatro Louletano.

Com um “mapa ambicioso”, como referiu Ana Fernades, da organização, o evento contará um 15 instalações de artistas de diversas nacionalidades. O acesso será gratuito a todas as instalações.

A par das instalações, um dos momentos altos do LUZA será a Torch Light Parade, no dia 24, a partir das 18h30. Para além de seu caráter artístico, estará a apoiar a Casa da Primeira Infância, uma instituição de acolhimento de crianças em condições de perigo e abandono. Serão disponibilizadas 2.000 tochas que acesas, formarão um desenho a ser revelado apenas no final da intervenção. Para participar desta atividade, o público poderá doar no mínimo 1 euro, que será revertido para a instituição. Da Mãe Soberana ao Terreno da Feira, os  participantes serão os atores diretos desta instalação interativa e solidária.

Como destaques do festival, estão ainda a inauguração da árvores de Natal de Loulé, nos Calustros do Convento (dia 24, ooh00) ou as conferências “Working with Light”, no Cine-Teatro Louletano (dia 25, das 15h00 às 17h30), com a presença dos artistas que fazem esta primeira edição do LUZA.

“Queremos luzir, este é um tema muito lusitano pelo que queremos dar um cunho muito português a um festival que se pretende seja internacional”, considerou Ana Fernandes.

O Município de Loulé é coorganizador deste Festival, reconhecendo o potencial do projeto num território que se diferencia por ser um espaço de modernidade, design e arte. Para Carlos Carmo, vereador dos Evento, desde o primeiro momento que a Câmara Municipal de Loulé abraçou este projeto. “O objetivo é trazer mais pessoas a Loulé durante aquilo que designamos como a época baixa do turismo. Acredito que este evento tem a tipologia exata do que se pretende com o programa 365 Algarve”, considerou este responsável municipal.

Já Dália Paulo, comissária deste programa, o LUZA é um dos eventos que marca a segunda edição do 365 Algarve, programa cultural que assenta também no desenvolvimento económico e social da região. “O LUZA vem colmatar esta lacuna que existia na época baixa da região. Por outro lado, a escolha do mês de novembro para realizar este evento vai ao de encontro do objetivo de integrar o LUZA nesse circuito internacional”, sublinhou. 

Programa

24 de Novembro

18h30 – Abertura oficial do LUZA

18h30 – “Torch Light Parade” (para adquirir as tochas e fazer parte do desfile, encontro na Mãe Soberana)

19h00 (a cada 45minutos) – Video Mapping na Fachada do Mercado Municipal

19h30/21h00/22h30 – Sand art na Igreja São Francisco

00h00 – Apresentação da Árvore de Natal de Loulé na Cerca do Convento do Espírito Santo

00h30 – Encerramento do 1° dia do LUZA

25 de Novembro

10h00 – Abertura das obras de interior, Convento de Santo António e Cine-Teatro Louletano

15h00 – 17h30 – Conferência “Working with Light” no Cine-Teatro Louletano

18h30 – Abertura das restantes instalações

19h00 (a cada 45minutos) – Video Mapping na Fachada do Mercado Municipal

19h30/21h00/22h30 – Sand art na Igreja São Francisco

00h30 – Encerramento do 2° dia do LUZA

26 de Novembro

10h00 – Abertura das obras de interior, Convento de Santo António e Cine-Teatro Louletano

18h30 – Abertura das restantes instalações

19h00 (a cada 45minutos) – Video Mapping na Fachada do Mercado Municipal

19h30/21h00/22h30 – Sand art na Igreja São Francisco

00h00 – Encerramento do LUZA Festival

 

Mais informações em www.luzafestival.com ou  info@luzafestival.com

Comentários (0)

“Fado, Cante e Alma Algarvia” na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

Publicado em 22 Novembro 2017 por RUA

Tem lugar na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, dia 25 de novembro, a partir das 16 horas, o evento “Fado, Cante e Alma Algarvia”, palestra e recital realizados no âmbito de Jangada de Pedra- ciclo de música ibero-americana e da elevação do Fado a Património Imaterial pela UNESCO.

Um Cocktail Mediterrânico, às 16h, que integra uma pequena degustação dos sabores mediterrânicos, apoiado pela Quinta do Barranco Longo, antecede a palestra multimédia por Daniela Tomaz e o recital do Duo Lundú “Raízes e Derivações do Fado Primitivo em Portugal e no Brasil” pelas 16h30m.

Estes momentos abordam as canções de câmara que no século XIX se tornam populares nos salões particulares. Modinhas e Lundús evoluem nas constantes viagens entre Portugal e Brasil, resultando numa sonoridade e fusão de estilos que se considera estar na origem do Fado.

O recital permitirá ao público conhecer uma parte importante do espólio da música erudita do século XIX através de Modinhas, Lundús e Fado e dos compositores emblemáticos do século XX, interpretados pelo Duo Lundú na voz da mezzo soprano Joana Godinho ao som da guitarra romântica de José Farinha, acompanhados na flauta e percussão pela convidada Daniela Tomaz.

Esta iniciativa, uma organização da Academia de Música de Lagos integrada no ciclo Música no DiVaM do programa da Direção Regional de Cultura do Algarve, Dinamização e Valorização dos Monumentos  2017 – Lugares de Globalização, pretende homenagear os três géneros culturais portugueses elevados a património imaterial da humanidade: o fado, o cante e a dieta mediterrânica.

Comentários (0)

ASMAL dinamiza projeto “Teatro e Saúde Mental”

Publicado em 21 Novembro 2017 por RUA

A Associação de Saúde Mental do Algarve (ASMAL) dinamiza a iniciativa Teatro e Saúde Mental, um projeto cofinanciado pelo Programa de
Financiamento a Projetos pelo INR, I.P..

O projeto almeja juntar atores, encenadores e técnicos de dois grupos de teatro: o Teatro do Sótão – grupo inclusivo da ASMAL, coordenado por Nídia Marta Gonçalves, e o Grupo de Teatro Terapêutico (GTT) do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa (CHPL – antigo Hospital Júlio de Matos), dirigido por João Silva e Isabel Cristina Calheiros.

Os principais objetivos são o conhecimento, a partilha de experiências de teatro, a formação e a criação cénica, entre os elementos de ambos os grupos.
O projeto Teatro e Saúde Mental envolve três ações: Partilha de Vivências Cénicas; Residência Artística; Ensaio Aberto. A Partilha de Vivências Cénicas acontece já nos dias 21 e 22 de novembro, em Lisboa, onde, para além de outras atividades, os intervenientes do Teatro do Sótão terão oportunidade de assistir ao ensaio de Casulo, a nova peça do Grupo de Teatro Terapêutico. A Residência Artística decorre de 11 a 14 de dezembro, incluindo o Ensaio Aberto, a 14 de dezembro, no CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve, em Faro.

O trabalho desenvolvido pelo Teatro do Sótão - grupo inclusivo da ASMAL tem como objetivos a reabilitação psicossocial dosseus intervenientes, através da vivência de experiências estéticas, de processos criativos e artísticos. Pretende ainda contribuir para a desmistificação do estigma associado à doença mental, reconhecendo e valorizando capacidades.

Comentários (0)

“Moncarapacho Solidário” apoia as vítimas dos incêndios

Publicado em 15 Novembro 2017 por RUA

De 17 a 20 de novembro a MACMon, um grupo informal de cidadãos, organiza o “Moncarapacho Solidário”.

A iniciativa tem como objetivo recolher fundos e distribuí-los por quem perdeu tudo nos incêndios que deflagraram em Portugal este ano.

Partindo de um grupo de cidadãos que trabalha em arte contemporânea, da iniciativa faz parte uma mostra de arte que aposta na generosidade de quem oferece o seu trabalho e no envolvimento de quem pode adquirir estas obras.

O trabalho necessário à realização da mostra é exclusivamente pro bono.

Ao longo do horário da mostra, os artistas que nela participam pretendem estar juntos de forma a criar um ambiente informal que estimule a troca de ideias.

Do programa da iniciativa faz também parte um concerto com vários músicos, que tem lugar na Igreja Matriz de Moncarapacho.

 

Programa

17 Nov – 19h- Concerto na Igreja Matriz| entrada e contribuição livre

18, 19 e 20 de Novembro – 15h às 20h -  1ª MACMon – Pavilhão de Eventos

19 Nov – 18h – Leilão de arte contemporânea – Iniciativa de apoio às vítimas

Comentários (0)

Radiação III com download disponível

Publicado em 15 Novembro 2017 por RUA

Já estão disponíveis para download as obras sonoras difundidas em Radiação III,.

Juntamente com as obras está também disponível um pdf com arranjo gráfico para a respectiva caixa e CD, com design de Rodrigo Rosa.

 

Relação de autores e obras:

Alexander Tchitchikov (Martim Santos):

“Les Cowboys Morts ne Racontent pas d’Histoires”, 02:05

“пиано убило дельфин”, 01:46

“Bebi Uma Girafa”, 02:52

“Tenebrarum”, 04:33

Alexandre Reigada:

“Bichos”, 03:30

Ana André:

“Faro”, 00:42

“Barreiro”, 00:31

Ana Borralho & João Galante:

“And the Far Horizon Fading Away”, 03:05

Ana Pissarra e José Nascimento:

“Os Cães Sopram Línguas de Fogo para Longe”, 01:59

Ângelo Encarnação:

“Good Picture of Steve”, 01:11

“Step”, 01:11

“Standby Gene”, 01:06

Carmo Posser:

“Vai-Vem”, 02:00

Catarina Branco:

“Composition and Movement”, 01:49

Fernando Sampaio Amaro:

“Wish You Were Here”, 02.43

“Oh Lord” (00.02.27)

“I Came So Far For Beauty”, 02.46

“Mr. Kite”, 02.36

Inês Luís:

“Efémero Mundo”, 02:00

Luiza Schaefer:

“Deixar Voar Além”, 00:57

“Como a Digestão”, 00:46

“Polir Talheres”, 00:52

Milita Doré:

“Intimidade”, 02:40

Nuno Murta:

“Sorry Bieber 01”, 02:03

“Sorry Bieber 02”, 00:51

“Entrevista”, 01:50

Pedro Cabral Santo:

“Projecto Fusível – Test”, 02:40

Ricardo Paraíso Silvestre:

“Unheard”, 01:28

Rúben Gonçalves:

“Mania Nostálgica”, 01:05

Sara Pinheiro:

“One F”, 02:19

“Elephant Whispers”, 02:00

Sara Pinheiro com Salomé Lamas:

“Riots and Rituals”, 02:00

Vasco Vidigal:

“I Feel Hot”, 02:00

Xana:

” Manifesto com Labirinto”, 01:52

 

 

 

 

Comentários (0)

Órgão da Igreja Matriz de Boliqueime volta a soar a 17 de novembro

Publicado em 14 Novembro 2017 por RUA

A Igreja Matriz de Boliqueime acolhe o próximo concerto do Festival de Órgão do Algarve, na sexta-feira 17 de novembro, com a participação de Daniel Oliveira (órgão) e Alexêi Tolpygo (violino barroco).

Daniel Oliveira é licenciado em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa e em Órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa (sob orientação de João Vaz). Frequenta actualmente o curso superior de cravo, na Escola Superior de Música de Lisboa, sob orientação de Ana Mafalda de Castro. Estudou órgão, cravo e música de conjunto com diversas personalidades, tais como L.F.Tagliavini, G. Uriol, Javier Artigas, Ketil Haugsand, Jacques Ogg, Peter Holtslag, Rainer Ziperling, K. Olesen e G. Barber.

Tem actuado com vários grupos de referência, tais como a Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Sinfónica Juvenil. Tem actuado em Portugal, Espanha e França.

É organista titular da Igreja Matriz de Oeiras e da Igreja da Misericórdia em Torres Vedras.

Alexêi Tolpygo nasceu em Moscovo numa família de músicos e começou a tocar violino aos cinco anos de idade. Ingressou no Instituto Superior de Música e Pedagogia de Gnessin, onde obteve o Diploma de Licenciatura em 1990.

Integrou a Orquestra Filarmónica de Moscovo e colaborou com a Soviet Festival Orquestra e a State Chamber Orquestra. Com estas formações, atuou em mais de trinta países. Integra o Moscow Piano Quartet, que em 1993 veio residir para Portugal e tem efetuado diversos concertos no país e no estrangeiro.

Em 1996, integrou como violinista a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Colaborou com a Orquestra Nacional do Porto e em diversos projetos da OrchestrUtopica. De 2007 a 2009, trabalhou com a Orquestra Nacional Russa sob a direção do maestro Mikhail Pletnyóv. Colaborou nesse período com o Brahms Trio, com o qual se apresentou em vários concertos internacionais, tendo ainda gravado um CD.

Regressou a Portugal na temporada 2009/10, retomando o seu lugar na Orquestra Metropolitana de Lisboa.

No programa de concerto serão apresentadas obras predominantemente italianas e na forma de sonatas, adaptadas a este duo instrumental.

O concerto seguinte na Igreja Matriz de Boliqueime tem lugar a 24 de novembro, com o organista André Ferreira. Todos os concertos realizam-se às 21h30 e são de entrada livre.

O Festival de Órgão do Algarve 2017 é organizado pela Associação Cultural Música XXI. Conta com os apoios da Direção Regional de Cultura do Algarve e dos Municípios de Faro, Loulé, Tavira e Portimão, com o apoio à divulgação da Região de Turismo do Algarve e com os parceiros de comunicação Antena 2, Sul Informação e Rua FM.

Página FB: https://www.facebook.com/festivalorgaoalgarve/

Comentários (0)

Apanha do medronho é proposta do Loulé Criativo

Publicado em 14 Novembro 2017 por RUA

O projeto Loulé Criativo associa-se à empresa Medronho J.R. e propõe uma atividade de colheita de medronho, em plena serra algarvia, no dia 9 de dezembro, das 9h00 às 15h00.

Pretende-se que os participantes testemunhem e participem na tradicional apanha do medronho numa zona conhecida pela abundância e qualidade deste fruto, em plena serra do interior do Concelho de Loulé.

Esta é uma oportunidade para experimentar um agradável passeio no campo, seguido de uma atividade de apanha do medronho, assim como uma visita à destilaria tradicional da empresa Medronho J.R., passando pela zona de armazenamento e fermentação dos frutos, pela caldeira em cobre aquecida a lenha culminando na degustação das aguardentes produzidas no local. O participante poderá conhecer por dentro esta tradição e desfrutar de um almoço preparado no Grupo Desportivo Serrano, no Monte Ruivo, saboreado num espaço único, rodeado pela beleza da Natureza.

O Workshop, ministrado em Inglês e Português, tem um custo de 35 euros por pessoa (almoço incluído). As inscrições podem ser feitas em http://loulecriativo.pt/pt/turismocriativo/experiencias/84-a-apanha-do-medronho

Refira-se que o Município de Loulé, através da iniciativa Loulé Criativo, convida ainda todos os locais e visitantes a tirar partido do início da época natalícia ao participar em atividades repletas de tradição e saberes milenares. A programação é variada e conta com workshops de bombons natalícios, de filhós de laranja e pastéis de batata-doce, de confeção do bolo-do-Reino dos Algarves e muitas mais atividades que, com certeza, irão agradar a miúdos e graúdos. Mais informações em: loulecriativo@cm-loule.pt  ou 289 400 894.

Comentários (0)

LUZA Festival divulga lista de artistas e obras

Publicado em 13 Novembro 2017 por RUA

O LUZA Festival é um projeto inovador que promete impactar a região do Algarve com sua singularidade. Trata-se de um festival de luzes que será realizado entre os dias 24 e 26 de novembro, no Município de Loulé. O LUZA assume-se como um projeto independente e tem como objetivo inserir Portugal no roteiro dos festivais internacionais de iluminação artística.

A ByBeau e a Eventor’s Lab são as produtoras deste evento, que conta ainda com o Município de Loulé como co-organizador. O projeto faz parte do Programa 365 Algarve e tem como parceiros o Conrad Hotel, A Eurologistix e a Climar.

Todas as instalações serão de acesso gratuito e o público poderá percorrer as ruelas, monumentos e construções da cidade para uma experiência inesquecível e iluminada. Além disso, o comércio da cidade estará aberto durante o evento, o que tornará a experiência ainda mais enriquecedora para os visitantes.

O LUZA Festival receberá artistas nacionais e internacionais, oriundos de países como: Portugal, Espanha, Escócia, França, Japão, Polónia, Reino Unido e Alemanha. Entre as atividades artísticas, no dia 25 de novembro será realizada a conferência “Working with Light”. Na ocasião, artistas reconhecidos serão convidados para um debate e uma reflexão sobre o tema e e sua importância.

A Torch Light Parade será um outro grande momento do festival, que para além de seu caráter artístico, estará a apoiar a Casa da Primeira Infância, uma instituição de acolhimento de crianças em condições de perigo e abandono. Serão disponibilizadas 2.000 tochas que acesas, formarão um desenho a ser revelado apenas no final da intervenção. Para participar desta atividade, o público poderá doar no mínimo 1 euro, que será revertido para a instituição. Da Mãe Soberana ao Terreno da Feira, os  participantes serão os atores diretos desta instalação interativa e solidária.

Comentários (0)

Noite de Contos e Micro Contos em São Brás de Alportel

Publicado em 09 Novembro 2017 por RUA

No próximo sábado, dia 11 de Novembro, pelas 21h30, Maria José Carocinho, Sofia Maul e Fernando Guerreiro juntam-se para contar histórias na Casa da Barreira e aquecer a noite de São Brás de Alportel. Cada um no seu estilo próprio leva consigo contos e micro contos para agasalhar o público. A entrada é livre e sem necessidade de marcação prévia.

A contadora Maria José Carocinho, natural de Beja e residente há vários anos em São Brás de Alportel, traz consigo a magia e o encanto das planícies alentejanas nos seus contos carregados de ternura e magia.

Sofia Maul, contadora de histórias residente na ilha da Madeira, vem, mais uma vez a São Brás de Alportel, terra com que tem laço muito fortes, espalhar o encanto de contos carregados de cheiro a maresia que traz consigo das ilhas e de outras partes do mundo por onde tem andado a contar histórias.

Por seu lado, Fernando Guerreiro, também ele nascido no Alentejo e residente em São Brás de Alportel há cerca de 15 anos, pontuará a noite com os seus Micro Contos numa sessão de contos ao vivo acompanhado do seu fiel ukulele.

Esta sessão de contos terá como cenário a Casa da Barreira, um espaço bem no coração da vila de São Brás de Alportel e que alia o bom gosto à tradição num local carregado de História e de histórias que nos leva aos tempos em que ali se realizavam feiras. É neste ambiente acolhedor que os contadores estarão à espera, de braços bem abertos e sorrisos rasgados, para uma noite feita de histórias de todas as formas e feitios.

Há vinho e petiscos para acompanhar as histórias.

 

Hiperligações:

Sofia Maul: http://sofiamaul.wixsite.com/contadora

Maria José Carocinho: https://www.facebook.com/ribmariajose

Fernando Guerreiro: www.microntos.pt

Comentários (0)

Video Lucem leva Cine-concertos às igrejas do Algarve

Publicado em 06 Novembro 2017 por RUA

A partir de novembro, há cinema nas igrejas do Algarve: o VIDEO LUCEM (Vejo Luz) regressa ao sul do país com sete cine-concertos, de entrada livre,em seis igrejas do litoral e serra algarvios e um cine-concerto ao ar livre.

A iniciativa do Cineclube de Faro integra o programa 365 Algarve para valorização da cultura na região durante os meses de época baixa e pretende, nesta segunda edição, homenagear as origens do Cinema, através da projeção de filmes mudos acompanhados por música ao vivo, desafios feitos a vários músicos.

Com o objetivo maior de proporcionar uma experiência sensorial irrepetível a turistas e locais, o Cineclube de Faro quer também contribuir para abrir ao público as portas, tantas vezes fechadas, do património histórico e religioso do Algarve. Este evento é uma parceria com a Pastoral da Cultura e a Pastoral do Turismo do Algarve.

A primeira sessão acontece às 21h30 de dia 9 de Novembro, na Igreja de São Francisco, em Faro, com a exibição de duas curtas de Charles Chaplin – O Imigrante e A Rua da Paz. Na primeira sessão contamos com a criação de Maria João e João Farinha e com a participação especial, ao contrabaixo, de Zé Eduardo.

 

Abaixo, a restante programação do evento.

7 DEZ 2017 | 21H30 |Igreja de São Clemente, Loulé

A MÃE, de Vsevolod Pudovkin (URSS, 1926)

Musicado ao vivo por Custódio Castelo (guitarra portuguesa), Carlos Menezes (contrabaixo) e Fad’NU (voz e guitarra)

 

13 JAN 2018 | 21H30 | Igreja Matriz de Martim Longo

OS LOBOS, de Rino Lupo (Portugal, 1923)

Musicado ao vivo por Nicholas McNair (piano)

 

8 FEV 2018 | 21H30 | Igreja de Santiago, Tavira

O VENTO, de Victor Sjostrom (EUA, 1928)

Musicado ao vivo por Filipe Raposo (órgão de igreja)

 

8 MAR 2018 | 21H30 | Igreja Matriz de Ferragudo

RING UP THE CURTAIN, de Harold Lloyd (EUA, 1919)

SHERLOCK JR., de Buster Keaton (EUA, 1924)

Musicado ao vivo por Noiserv (vários instrumentos) e João Frade (acordeão)

 

6 ABR 2018 | 21H30 | Sé de Silves

DOURO, FAINA FLUVIAL de Manoel de Oliveira (PT, 1931)

À PROPOS DE NICE de Jean Vigo ( FR, 1930)

Musicado ao vivo por Ana Deus, Luva Argel, Viviane e Tó Viegas

 

30 MAI 2018 | 21H30 | ao ar livre em Vila Real de Santo António

OS FAROLEIROS, de Maurice Mariaud (Portugal, 1922)

Musicado ao vivo por Dead Combo

 

 

Sobre o Cineclube de Faro

Fundado em 1952, é o cineclube português com mais tempo de atividade ininterrupta. A continuidade valeu-lhe, em 2003, a atribuição do estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

 

Sobre o 365 ALGARVE

Trata-se de uma iniciativa das Secretarias de Estado da Cultura e do Turismo, com financiamento do Turismo de Portugal e execução da Região de Turismo do Algarve. Envolve os agentes culturais e turísticos da região e decorre entre os meses de outubro a maio de cada ano.

Comentários (0)

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões