Arquivo | Cultura

Verão Azul — Festival Internacional de Artes regressa em outubro ao Algarve 

Publicado em 12 Setembro 2019 por RUA

Sob o mote “Pela Estrada Fora”, de Jack Kerouac, a 9ª edição do Verão Azul — festival internacional de artes volta a Loulé, Faro e Lagos, com propostas de teatro, dança, música, performance, artes visuais e cinema. Este ano em formato bienal, artistas nacionais e internacionais convidam o público a pensar o conceito do Antropoceno – época que se caracteriza pelo impacto das acções do Homem no seu habitat.  

Verão Azul — festival internacional de artes regressa ao Algarve, entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, com um total de 21 espectáculos, dos quais se podem contabilizar quatro estreias — duas nacionais e duas absolutas — e duas co-produções. Com Direcção artística da dupla Ana Borralho e João Galante e curadoria de Catarina Saraiva, o programa da 9ª edição contempla criadores consagrados do panorama artístico internacional, como o coreógrafo italiano Alessandro Sciarroni, recentemente distinguido com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019; ou Niño de Elche, o enfant-terrible do Flamenco; e nomes nacionais, como Tó Trips, Raquel André ou a rapper algarvia, Russa.

Este ano Loulé acolhe o espectáculo de abertura do Verão Azul. “Mining Stories”, dos belgas Silke Huysman e Hannes Derreere, é uma das duas estreias nacionais do festival e será apresentado em sessão única no dia 17 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma peça de teatro documental sobre o desastre ambiental Mariana, no Brasil. Uma viagem intrigante que visita memória, política, religião e a forma de contar estórias.

A outra estreia nacional é “Storm Atlas”, da companhia de dança italiana Dewey Dell, formada por Teodora, Demetrio, Agata Castellucci e Eugenio Resta. Um concerto-performance que procura encontrar a ligação entre som e movimento, onde músicos tocam ao vivo através de uma coreografia. “Storm Atlas” é apresentado no dia 24 de Outubro, às 23h00, no Teatro das Figuras, em Faro.

O encerramento do festival fica a cargo de Tó Trips e Tiago Gomes, no dia 2 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. “On the Road” (Pela Estrada Fora), é um espectáculo-viagem baseado no livro homónimo de Jack Kerouac, considerado a bíblia da beat generation. Os dois performers e o vídeo (realizado por Raquel Castro) remetem o espectador para a route 66, na busca do sonho americano.

 

Dançar as migrações com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019 

“CHROMA_don’t be frightened of turning the page:”, de Alessandro Sciarroni, é um solo de dança hipnótico protagonizado pelo próprio e inspirado nos fluxos migratórios dos animais, mas também uma exploração dos aspectos físicos e psicológicos da intoxicação através do movimento. O espectáculo é apresentado no dia 26 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. Em 2019, o coreógrafo e bailarino italiano recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza, que já distinguiu os maiores nomes da dança contemporânea, como Pina Bausch, Anne Teresa De Keersmaeker ou Lucinda Childs.

 

O flamenco do futuro de Niño de Elche

Niño de Elche (nome artístico de Francisco Molina) apresenta no dia 18 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro, o seu mais recente projecto “Colombiana”. Considerado pelo jornal espanhol El Mundo, como o “homem que bombardeou o flamenco”, neste novo projecto inspira-se nas canções de ida e volta. Não apenas guajiras ou milongas, mas também a soleá e a seguiriya, romances, cabales, peteneras e pregones no vasto Caribe Afro-Andaluz. E o fandango, claro.

 

Duas estreias mundiais 

Um dos destaques é a estreia mundial do projecto “In Between” de Paulina Sz, uma performance de 20 minutos entre a artista polaca e um espectador. O projecto coloca duas pessoas de costas com costas sem olhar para trás e aborda questões como honestidade, presença, encontro e a relação com o outro. Recorde-se que a artista desenvolveu esta performance no âmbito do laboratório Shock Lab – Práticas Criativas em Contextos Periféricos, realizado em Faro e Loulé, em 2018. Estreia a 17 de Outubro no Cine-Teatro Louletano.

A outra estreia mundial decorre no dia 27 de Outubro, no Cine-Teatro Louletano. “A Laura Quer!” é um projecto de Sílvia Real em co-criação com o Grupo 23: Silêncio! e Francisco Camacho. Uma peça de dança e teatro, com adolescentes e crianças, voltado para o futuro e dirigido a todos os públicos a partir da pergunta: “Mas que futuro será este, ancorado nas incertezas deste intenso agora?”.

 

Formato bienal com duas co-produções

Em 2018, o Verão Azul abriu um novo ciclo e adoptou o formato bienal. Nos anos intercalares, dedica-se a trabalhar a sua intenção artística de descentralização com artistas convidados, promovendo residências de criação, laboratórios de pesquisa e co-produções, cujos resultados serão apresentados em cada edição do festival.

É o caso de Raquel André que, para “Colecção de Artistas”, uma das duas co-produções da edição de 2019 do festival, realizou duas residências artísticas no Algarve, em Faro e em Loulé. O espectáculo, que se estreia no dia 14 de setembro, no Teatro Nacional D. Maria II, é apresentado no dia 19 de outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma colecção que se ocupa de cada artista, das suas práticas e ferramentas de trabalho, bem como dos seus pensamentos e biografias. O Verão Azul apresenta ainda “Colecção de Amantes” a 1 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. Estes dois trabalhos integram a tetralogia intitulada “Colecção de Pessoas”.

Outra co-produção desta edição do Verão Azul é “Entre Cães e Lobos”, do artista brasileiro Gustavo Ciríaco, que desenvolveu uma performance inspirada numa colecção de relatos e descrições de paisagens que apenas ficaram guardadas nas memórias de anciãos e de outras imaginadas e desenhadas por crianças. Para a criação de “Entre Cães e Lobos”, o artista realizou duas residências, uma em Lagos onde colaborou com um grupo de crianças e outra em Loulé com um grupo de séniores. O espectáculo pode ser visto, no dia 25 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano.

 

Projectos no espaço público para envolver a comunidade

Cátia Pinheiro leva às ruas de Loulé (19 e 20 de Outubro) e de Lagos (1 e 2 de Novembro) “The Walk#2”, um percurso-áudio site-especific que se serve da cidade e das pequenas ficções dela extraídas para conduzir os espectadores numa viagem única e pessoal. Em Loulé, o início do percurso faz-se a partir do Convento do Espírito Santo e em Lagos, da Messe Militar de Lagos. As saídas serão individuais, com intervalo de quatro minutos entre cada espectador e os bilhetes podem ser adquiridos no Cine-Teatro Louletano e no Centro Cultural de Lagos. “The Wlak #2” foi desenvolvido no âmbito de uma residência realizada pela artista no Algarve.

O colectivo chileno MilM2 (mil metros quadrados) vai percorrer as ruas de Faro (19 e 20 de Outubro) e Quarteira (26 e 27 de Outubro) com o “Proyecto Pregunta”, um dispositivo que pretende incentivar a participação cívica, promover o debate no espaço público sobre questões sociais e que contará com a colaboração de um grupo de voluntários da comunidade local.

“Burn Time”, do coreógrafo e performer André Uerba, é uma performance que vai contar com a participação de 10 pessoas da comunidade local que serão selecionadas numa audição limitada a 25 participantes, no dia 17 de Outubro. O espectáculo será apresentado no dia 24 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. O bilhete (5 euros) para este espectáculo também dá acesso ao concerto-performance “Storm Atlas”, de Dewey Dell.

 

Exposição de André Príncipe e várias sessões de cinema

No dia 17 de Outubro, às 18h30, o festival inaugura “Expats – Viver num País Estrangeiro”, exposição individual do cineasta, fotógrafo e editor André Príncipe, na Associação 289, em Faro.

O Verão Azul vai exibir três filmes: “Braguino”, de Clément Cogitore (22 de Outubro, 21h30, CineClube de Faro), um documentário sobre duas famílias que vivem na floresta siberiana, isoladas, de forma auto suficiente e sem falarem entre si; “Raving Iran”, de Susanne Regina Meures (23 de Outubro, 21h00, Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé; 30 de Outubro, 21h30, no Galeria LAR, em Lagos), um filme sobre dois amigos DJs que vivem diariamente sob a ameaça da censura no Irão, num mundo secreto e underground, mas com uma vontade imensa para viver e realizar os seus sonhos; e “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”, de João Salaviza e Renée Nader Messora (31 de Outubro, 21h30, Galeria LAR, em Lagos), que resulta do convívio de anos que os realizadores tiveram com o povo krahô no Norte do Brasil. Em 2018, o filme recebeu o prémio especial do júri da secção Un Certain Regard do Festival de Cannes.

 

Artistas algarvios actuam nos pontos de encontro do festival

Uma das novidades desta edição do Verão Azul passa pela criação de dois pontos de encontro, no Gimnásio Clube de Faro e Auditório do Solar da Música Nova (Loulé), que vão contar com actividade programática de entrada gratuita, como concertos, conversas e encontros informais entre público e criadores. Em Loulé, vão decorrer os concertos dos artistas algarvios 2Mikkers – Imaginário e Lágrima, de João Caiano e Martim Santos (17 de Outubro, 23h30) e Russa (19 de Outubro, 23h30). Aqui será, também, apresentado o concerto de Gabriel Ferrandini, Maria Reis (Pega Monstro) e André Cepeda (25 de Outubro, 23h30). Em Faro, realiza-se o concerto de mais um algarvio, Tiago Saga (24 de Outubro, 00h00) e do guitarrista e compositor Sérgio Pelágio (26 de Outubro, 23h00).

 

Actividades paralelas

O Verão Azul propõe um conjunto de actividades paralelas, como workshops de dança, com Gustavo Ciríaco (26 e 27 de Outubro, na Academia Iluminarte, em Loulé), e de Improvisação Musical, com Gabriel Ferrandini (26 de Outubro, na Mákina de Cena – Associação Cultural, em Loulé). Os valores dos workshops variam entre os 20 e os 10 euros, respectivamente.

Estão ainda previstas duas masterclasses gratuitas. No dia 26 de Outubro, na Casa da Cultura de Loulé decorre uma masterclass de fotografia com André Cepeda. No dia 2 de Novembro, na Galeria LAR em Lagos, realiza-se a masterclass de teatro, orientada por Raquel André.

Para incentivar a crítica nas artes performativas, será criado um grupo de crítica, constituído por espectadores que vão analisar os espectáculos, entrevistar artistas e produzir material que poderá ser publicado no site do Verão Azul. Esta actividade é aberta ao público em geral e será orientada pela curadoria do festival.

As inscrições para as actividades paralelas podem ser efectuadas através do endereço de e-mail info@festivalveraoazul.com .

 

Sessões para escolas

A programação do festival contempla dois espectáculos dedicados exclusivamente à comunidade escolar. “Antiprincesas – Clarice Lispector”, de Cláudia Gaiolas é um espectáculo inspirado na vida da escritora brasileira, que será apresentado no dia 25 de Outubro, às 10h30, no Parque Municipal de Loulé, e a 30 de Outubro, à mesma hora, no Parque da Cidade, em Lagos.

No dia 31 de Outubro, às 10h30, no Centro Cultural de Lagos, vai decorrer “Por esse Mundo Fora”, de Márcia Lança e Nuno Lucas, um espectáculo sobre como a curiosidade nos pode levar a superar os nossos limites.

Comentários fechados em Verão Azul — Festival Internacional de Artes regressa em outubro ao Algarve 

Ivo Canelas com aclamado monólogo na abertura de temporada do Cine-Teatro Louletano

Publicado em 12 Setembro 2019 por RUA

O Cine-Teatro Louletano abre a sua nova temporada artística com Teatro, rumando a Loulé um dos mais reconhecidos atores portugueses, Ivo Canelas, que estreia assim no Sul o seu aclamado monólogo “Todas as Coisas Maravilhosas”, numa performance em que o público faz parte integrante do espetáculo. Pela primeira vez o Cine-Teatro faz três apresentações de um espetáculo de início de temporada: a 14 de setembro (sábado) às 21h30 – sessão já esgotada – e no domingo, 15, às 18h00 e às 21h30, com lotação limitada.

“Todas as Coisas Maravilhosas” é um monólogo com muito humor, escrito pelo britânico Duncan Macmillan, que estreou no prestigiado Fringe Festival em 2013 e já foi apresentado em diversos países. Apesar do tom cómico, neste espetáculo fala-se de temas sérios: a depressão, as crises existenciais, a família e o amor são alguns deles. Tudo se baseia numa lista criada por uma criança de sete anos sobre as melhores coisas da vida. Gelados, guerras com água e poder ficar a ver televisão depois da hora de ir para a cama são algumas delas.

A maior parte das pessoas que assiste à peça terá de participar no teatro – vão ser distribuídos papéis com pequenas frases ou simples palavras para tornar toda a experiência mais interativa, os quais serão posteriormente afixados em locais públicos na cidade de Loulé. O ambiente é intimista, já que os lugares sentados estão espalhados à volta do ator.

Este espetáculo tem a duração de 70 minutos, destina-se a maiores de 12 anos e o ingresso tem um custo associado por pessoa de 12 euros, passando para 10 euros no caso dos maiores de 65 e menores de 30 anos, com Cartão de Amigo aplicável.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Comentários fechados em Ivo Canelas com aclamado monólogo na abertura de temporada do Cine-Teatro Louletano

Festival F encerra melhor edição de sempre com um dia esgotado

Publicado em 11 Setembro 2019 por RUA

A sexta edição do Festival F, o último grande festival de verão, que decorreu em Faro, nos dias 5, 6 e 7 de Setembro, terminou no sábado e levou à Vila Adentro perto de 60.000 pessoas, das quais 24.000 numa única noite: a última oportunidade para assistir à reunião dos Ornatos Violeta, a propósito do 20º aniversário da edição do seminal álbum “O Monstro Precisa de Amigos”, esgotou, pela primeira vez, uma noite do festival. Também os Amor Electro, Ana Bacalhau, António Zambujo, Baile Funk, Capitão Fausto, Carolina Deslandes, David Carreira, Linda Martini, Mayra Andrade, Profjam, Revenge Of The 90’s ou 9 Miller, entre muitos outros, cumpriram a missão a que todos os anos se propõe o Festival F, de proporcionar espectáculos memoráveis ao público, quer sejam nomes consagrados ou grandes promessas da música portuguesa.

Nesta edição, além dos Palcos Sé, Quintalão, Museu e Ria, nasceram dois novos palcos, Fábrica e Formosa, este com concertos intimistas, que tiveram lugar diariamente num barco, ao entardecer.

Na programação rica e diversificada do Festival F, e em paralelo à música, houve lugar para as artes plásticas, workshops, novo circo e teatro para os mais novos, e uma tertúlia diária tendo por mote temas da actualidade, que levou ao coração do Algarve personalidades como Maria Rueff, Hugo Van der Ding, Diogo Faro, Joana Amaral Dias ou Rita Andrade, entre outros convidados, que lotaram por completo o espaço dos claustros da Sé.

Destaque ainda para as mais de 20 marcas que apoiaram o Festival F, como a Super Bock, Mercedes, Fórum Algarve ou a Altice, que permitiu ao público aceder gratuitamente à internet.

Os parceiros de media TVI, TVI24, Rádio Comercial e Correio da Manhã levaram o Festival F aos que não se puderam deslocar à Vila Adentro em Faro, através da cobertura permanente de tudo o que se passou nestes 3 dias da maior festa da música e cultura portuguesas.

O Festival F é uma iniciativa do Município de Faro, do Teatro Municipal de Faro, S.M., da Ambifaro e da produtora Sons em Trânsito.

Comentários fechados em Festival F encerra melhor edição de sempre com um dia esgotado

Cine-Teatro Louletano com vincada aposta na programação para crianças, jovens e famílias

Publicado em 02 Setembro 2019 por RUA

O Cine-Teatro Louletano continua apostado em reforçar os laços com a comunidade escolar, lugar por excelência de aprendizagem, conhecimento e sociabilização. A estratégia que vem prosseguindo ficará patente, no que concerne à temporada que se avizinha (que inclui os meses de setembro a dezembro), na promoção de espetáculos variados que vão desde o Teatro à Música, passando pela formação em ambas as áreas.

Indispensável para a criação de novos públicos, esta opção estratégica de ligação à comunidade escolar é a pedra de toque do Cine-Teatro Louletano e do Auditório do Solar da Música Nova, importantes fomentadores também da mediação musical e teatral.

O primeiro dos espetáculos da temporada  intitula-se “Dito por não dito” e terá, assim, lugar na Escola Secundária Dr.ª Laura Ayres em Quarteira. Esta criação teatral destina-se a  jovens com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos e está em cena de 16 a 20 de setembro, com encenação do quarteirense Ricardo Neves-Neves, diretor artístico da companhia Teatro do Eléctrico.

A 21 de setembro, Loulé acolhe a iniciativa “RHI (Revolution Hope Imagination)”, um projeto do Art Institute sediado em Nova Iorque que visa a circulação internacional de projetos portugueses. O objetivo do RHI é criar e fomentar um diálogo entre a Arte e os Negócios, a Cultura e o Turismo. Neste âmbito, haverá paralelamente às talks e showcases realizados no Auditório do Solar da Música Nova duas atividades a pensar nos mais pequenos: ateliês de teatro com Cátia Terrinca (do grupo UmColectivo) na Academia IluminArte, da Associação Artística Satori; e um workshop de Arte e Ciência para crianças a realizar no Palácio Gama Lobo, sede do projeto Loulé Criativo.

A 22 do mesmo mês é dia para “Canções de Roda, Lenga Lengas e Outras que Tais”, cujo elenco de luxo, formado por Ana Bacalhau, Vitorino, Sérgio Godinho e Jorge Benvinda, interage, numa colaboração inédita, com o Grupo Coral Infantil de Loulé que inclui mais de uma centena de crianças dirigidas pelo professor Ricardo Jorge. Entre canções de roda e lenga lengas somos levados a viajar à nossa infância, despertando as mais longínquas recordações.

Também de Ricardo Neves-Neves, e aqui com Ana Lázaro, estão previstas treze apresentações da peça “Catamarã”, desta feita no palco do Cine-Teatro Louletano. Esta criação é dirigida a crianças do primeiro e segundo ciclos das escolas do concelho que tenham entre 8 a 12 anos. Realizar-se-á com público em palco durante 55 minutos, de dia 1 a 10 de outubro, tendo por base uma história que nos fala de quão complicado pode ser crescer “sobretudo quando o mundo parece girar tão rápido que, de repente, as coisas à nossa volta começam a encolher e a ficar muito pequeninas…”

Também em outubro, mas a 26, pelas 10h30, aguardam-se algumas dezenas de crianças (com idades superiores aos seis anos) para assistirem, no Parque Municipal de Loulé, ao espetáculo “Anti-Princesas – Clarice Lispector”, obra esta que vai ser interpretada pela atriz Cláudia Gaiolas, no âmbito do Festival Internacional de Artes “Verão Azul”, o qual decorre nas cidades de Loulé/Quarteira, Faro e Lagos entre os dias 14 e 28. Trata-se de contar a história de vida da escritora ucraniana/brasileira, Clarice Lispector, figura que quebrou várias convenções através da sua arte.

A revisitação da obra da escritora Sophia de Mello Breyner – que inclui uma significativa dimensão dedicada à infância – na passagem do centenário do seu nascimento também não é esquecida, com a estreia a sul do país, em Loulé, do espetáculo “A Menina do Mar”, um conto musical de Edward Luiz Ayres d’Abreu, Ricardo Neves-Neves e Martim Sousa Tavares (este, sobrinho da poetisa). No dia 17 de novembro, pelas 17h00, há uma apresentação para famílias e público em geral, e no dia 18 são realizadas duas sessões para a comunidade escolar.

Todos os meses contemplam a ligação às escolas e preveêm programação exclusivamente destinada a crianças e jovens e, como tal, dezembro não é exceção. “Olá, eu sou o Pai Natal” é a inquietante peça que, desmontando de um modo original o imaginário natalício, o Cine-Teatro Louletano escolheu para os alunos adolescentes (maiores de 14 anos) e que terá uma exibição destinada ao ensino secundário a 4 de dezembro. Trata-se de um trabalho de Tiago Barbosa (texto, encenação e interpretação) que parte de um retrato individual que nos comove através da partilha de angústias e preocupações privadas, para alcançar uma reflexão sobre assuntos globais. O espetáculo “Noite”, da companhia portuense Circolando, estreia-se a sul no Cine-Teatro e inclui também uma apresentação destinada ao público escolar adolescente a 6 de dezembro, revisitando, num ambiente performativo, o imaginário noturno e a obra do poeta Al Berto.

Todos os formatos destinados à comunidade escolar do concelho têm acesso gratuito mediante a capacidade da sala, sendo articulados em colaboração com a Divisão de Educação, Juventude e Projetos da autarquia louletana, que faz a intermediação com os contextos educativos a que se dirige a programação artística do Cine-Teatro.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar toda a programação na sua página de Facebook ou no seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

Comentários fechados em Cine-Teatro Louletano com vincada aposta na programação para crianças, jovens e famílias

Sulíssimo Classical Tour propõe passeio na Ria Formosa ao pôr-do-sol, jantar a bordo do Jamanta e Concerto com a Orquestra Clássica do Sul na Ilha do Farol

Publicado em 16 Julho 2019 por RUA

Uma proposta que não deixa ninguém indiferente num dos cenários mais bonitos do Algarve – o “Sulíssimo Classical Tour” inclui um jantar a bordo do catamaran Jamanta durante um passeio pela Ria Formosa que culminará no Farol do Cabo de Santa Maria, na Ilha do Farol, onde terá lugar um concerto pela Orquestra Clássica do Sul.

Sob o céu estrelado, e também sob a batuta do maestro John Avery, a Orquestra Clássica do Sul apresenta-se pela primeira vez no recinto do Farol de Santa Maria, no concelho de Faro, para um concerto ao ar livre e de entrada gratuita. Grandes obras da música clássica denominada light irão ecoar pela Ilha do Farol na noite de dia 27 de julho, a partir das 21h30.

Para os adeptos de novas experiências, a empresa Animaris apresenta uma proposta gastronómica e musical quase irrecusável – o “Sulíssimo Classical Tour”, um passeio de barco ao final do dia para um sunset em plena Ria Formosa, durante o qual será servido um jantar a bordo do Jamanta. A viagem inclui uma paragem na Ilha do Farol para os participantes terem a oportunidade de assistir ao primeiro concerto da Orquestra Clássica do Sul no recinto do Farol do Cabo de Santa Maria.

A viagem inicia às 18h00, com partida do Cais da Porta Nova, em Faro, e termina com o regresso a Faro, após o concerto. Para mais informações e inscrições contactar a organização do evento através do tel. 918 779 155 ou pelo site go.jamanta.pt

 

Comentários fechados em Sulíssimo Classical Tour propõe passeio na Ria Formosa ao pôr-do-sol, jantar a bordo do Jamanta e Concerto com a Orquestra Clássica do Sul na Ilha do Farol

Salir no Tempo: Rei D. Dinis e Rainha Santa Isabel em destaque em mais uma recriação histórica no interior algarvio

Publicado em 15 Julho 2019 por RUA

Durante três dias, 19, 20 e 21 de julho, o núcleo urbano da vila de Salir irá recriar e convidar a experienciar momentos importantes que marcaram a História de Portugal. O Salir no Tempo propõe uma viagem no tempo e no espaço e, desta vez, o reinado de D. Dinis vai estar em destaque neste regresso ao passado.

O conceito desta iniciativa baseia-se na ideia de transformar todo este espaço do interior algarvio e nele projetar elementos vivos dessa época longínqua, onde a caracterização de atores e performers e a decoração do recinto ajudam a transportar-nos para o quotidiano de então e a “viver” alguns acontecimentos que ficaram na História de Portugal.

Assim, irá recriar-se historicamente a vida no período posterior à conquista do Algarve por D. Afonso III, pai de D. Dinis, numa altura em que existia uma convivência entre religiões e muitos muçulmanos se converteram ao cristianismo e continuaram a viver no território português.

  1. Dinis, um dos monarcas que mais influenciou a História de Portugal, teve um papel preponderante, desde logo, com assinatura do Tratado de Alcanizes que definiu a fronteira política mais antiga e estável da Europa, mas também pela afirmação do poder régio, pela consolidação e defesa da fronteira e povoamento e dinamização da economia. É à volta desta personagem tão importante, tal como a da Rainha Santa Isabel, sua esposa e figura muito amada pelos portugueses, que irão versar as várias iniciativas previstas: recriações, artes performativas, rábulas e estórias, animação itinerante, música e dança.

Neste âmbito, serão recriados momentos como o Tratado de Badajoz e Tratado de Alcanizes, a rota de Santiago e o agasalho aos peregrinos ou um momento dedicado aos 3 credos e às 3 culturas, nomeadamente uma “ketuba” (cerimónia matrimonial sefardita).

Com o objetivo de ilustrar a História de forma viva, o recinto contará com áreas temáticas, nomeadamente a Praça dos Ofícios, a Rua dos Tendeiros, o Mercado dos Infantes e Petizes, o Torneio de Armas a Cavalo, entre outros.

O Salir no Tempo integra, igualmente, como uma das suas principais atividades, um mercado medieval ao ar livre, baseado em produtos e ofícios deste período histórico. Esta é muita mais que uma feira medieval, procurando em diversos apontamentos, ser uma fiel recriadora do ambiente da época. Contando com dezenas de artesãos da região, mas também vindos de outras partes do país e mesmo internacionais, o mercado divide-se em duas grandes áreas: artesanato muçulmano e artesanato de base local.

A gastronomia, a animação, performances musicais e teatrais que visam a contextualização histórica e a criação de um ambiente de época, a dança do ventre, os cuspidores de fogo, as artes de falcoaria e a representação de diversas personagens pretendem marcar a experiência do visitante e proporcionar momentos de interação lúdica.

As portas abrem às 19h00, na sexta-feira e no sábado, e às 18h00 no domingo. Os bilhetes têm um preço de 3 euros (1 dia) e 5 euros (3 dias). Há ainda a possibilidade de aluguer de um fato da época no local.

Refira-se que os objetivos desta iniciativa passam por promover o desenvolvimento cultural do Concelho de Loulé, pela valorização do seu património histórico material e imaterial, contribuindo também para a dinamização desta zona do interior, marcada pelo acentuado envelhecimento populacional e decréscimo demográfico ao longo dos anos.

Comentários fechados em Salir no Tempo: Rei D. Dinis e Rainha Santa Isabel em destaque em mais uma recriação histórica no interior algarvio

Anjos e Calema na XXII Feira do Presunto

Publicado em 05 Julho 2019 por RUA

Monchique prepara-se para ser palco de mais uma edição da Feira do Presunto, que decorrerá nos dias 20 e 21 de julho, no Parque de S. Sebastião.

Durante todo o fim-de-semana vai ser dado a conhecer o genuíno e exclusivo presunto tradicional da Serra de Monchique. Para além deste ícone gastronómico, o artesanato tem também uma forte presença, havendo ainda stands dedicados à doçaria, pão, medronho e outros produtos.

Nesta edição, a animação musical vai ser uma constante, com a atuação dos Anjos no sábado às 22h00 e, no domingo, com a atuação dos Calema, pelas 22h00.

Os Anjos são umas das bandas de maior sucesso em Portugal.

Ao celebrar 20 anos de carreira, os Anjos deram a conhecer o tema original “Eterno” uma balada com letra e música de Sérgio Rosado, que se tornou num verdadeiro sucesso.

Fradique e António Mendes Ferreira, nasceram em São Tomé e Príncipe, respetivamente na Roça Ribeira-Peixe no sul do país (1987) e na capital São Tomé (1992).

Com a mesma mestiçagem que carateriza o povo Santomense, descendem de Cabo-verdianos, portugueses e angolares transportando em si uma diversa herança cultural que os conduziu à paixão pela música.

Desde muito cedo participaram em vários concursos vencendo Lusartist e onde começaram a trabalhar o disco de estreia “Bomu Kêlê” (Vamos acreditar em crioulo). Disco repleto de surpresas em crioulo e em português, onde os Calema desafiaram-se compondo todos os temas do disco.

Os sabores, o programa e a animação musical irão certamente constituir um bom motivo para uma visita a Monchique.

Comentários fechados em Anjos e Calema na XXII Feira do Presunto

Criatividade continua a ser a palavra de ordem para o próximo Festival MED

Publicado em 03 Julho 2019 por RUA

Excelente cartaz, um novo palco com uma envolvente fantástica, animações surpreendentes, uma preocupação notória com cada detalhe, um ambiente único. Estes foram alguns dos muitos elogios que o 16º Festival MED recebeu por parte do numeroso público que, de 27 a 30 de junho, acorreu à Zona Histórica de Loulé para experienciar uma panóplia de propostas artísticas, com especial destaque para as músicas do mundo.

Durante quatro dias, o coração medieval desta cidade, onde a herança islâmica está bem presente e onde se respira um ambiente verdadeiramente mediterrânico, voltou a ser o local de encontro de pessoas vindas de várias partes do mundo, das suas sonoridades e estilos diferentes que deslumbraram a todos.

Foram 80 horas de música que ecoaram nos 10 palcos por onde este ano passaram artistas vindos de paragens tão distintas como Haiti e Trindade e Tobago – dois países estreantes no MED – ou Níger, México, Turquia e Cabo Verde.

No que toca aos nomes que mais impressionaram quem assistiu a este espetáculo multicultural, destaca-se, naturalmente, Marcelo D2, considerado logo à partida um dos momentos fortes desta edição, mas também Dino D’Santiago, que atuou perante o “seu” público, o tobaguenho Anthony Joseph, o portentoso projeto franco-congolês Tshegue, as sonoridades mariachi da Orkesta Mendoza, a melodia lusitana de Ricardo Ribeiro, a beleza artística de Camané e Mário Laginha juntos em palco ou o furor dos Cais do Sodré Funk Connection que estiveram no Palco Chafariz, um novo espaço que constituiu uma das novidades desta 16ª edição e que surpreendeu de forma bastante positiva o público.

No programa deste Festival MED de realçar também outros palcos, menores em tamanho mas igualmente grandes pela qualidade artística, como é o caso do MED Classic, marcado pela atuação de agrupamentos de música clássica no interior da Igreja Matriz e que voltou a reunir um público apreciador deste estilo erudito; o Palco Calcinha, que juntou música e poesia; o Palco Bica, onde projetos inovadores da região, sobretudo na área do indie, marcaram presença; ou o MED Fado, que voltou a dar voz aos fadistas algarvios.

A animação de rua com dezenas de artistas como os elementos da Satori, o grupo Rhakatta, grupos de cante alentejano ou os ranchos folclóricos do Concelho andou por cada recanto do recinto numa constante interação com o visitante.

A gastronomia e o artesanato invadiram esta Zona Histórica com muita cor, cheiros e os sabores de uma cozinha do mundo onde não faltaram os burritos, as tapas, o shoarma, o caril e, naturalmente, os petiscos portugueses ou o Folhado de Loulé, candidato às 7 Maravilhas Doces de Portugal®.

Destaque ainda para o Cinema MED que este ano passou a integrar o programa do Festival, com curtas-metragens e a estreia de “Gabriel e a Montanha”, de Fellipe Barbosa. Com a curadoria de Rui Tendinha, esta foi mais uma aposta ganha até porque houve bastante interesse da parte do público, sobretudo na sessão de apresentação do filme do realizador brasileiro, no âmbito do “Open Day”, num espaço descontraído na Alcaidaria do Castelo.

A título de balanço, Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, sublinhou o facto de esta ter sido uma das edições de maior sucesso. “Estamos todos de parabéns porque esta é talvez a edição do MED com a maior assistência que alguma vez tivemos. Vimos espetáculos maravilhosos nos diversos palcos, sempre com grandes assistências. A festa num país e num festival mediterrânico, com noites destas, só pode atrair as pessoas e fazê-las felizes”, afirmou o autarca, em mais um ano de excelência da história do Festival MED.

Vítor Aleixo sublinhou a preocupação ambiental por parte do Município que esteve bastante presente em 2019, com ações como o copo ecológico, os bebedouros com água da rede pública (“uma água de excelência”), as papeleiras inteligentes e compactadoras ou os painéis solares que deram “energia limpa” às tasquinhas da restauração.

Também em matéria de segurança e socorro de pessoas e bens, tema que está na ordem do dia no contexto dos grandes eventos, é de enaltecer o 16º Festival MED, destacando-se a atuação exemplar de todas as entidades que estiveram a colaborar com a organização.

De olhos postos em 2010, Vítor Aleixo acredita que a inovação e criatividade poderão continuar a ser a chave para o sucesso do Festival MED em próximas edições. “Hoje vivemos numa sociedade de consumo em que os modelos, os formatos, os gostos, se consomem muito rapidamente. O que eu peço aos organizadores deste evento é que procurem ser criativos, tragam novidades não só ao nível das expressões musicais, mas de outras manifestações artísticas, ao nível do que é exposto nas bancas de artesanato, e até nas propostas gastronómicas. Tenho a certeza que o staff criativo e organizador do MED está muito atento a isso”, concluiu.

Comentários fechados em Criatividade continua a ser a palavra de ordem para o próximo Festival MED

Alameda Beer Fest regressa com 140 variedades de cerveja

Publicado em 01 Julho 2019 por RUA

Faro irá receber, de 04 a 06 de julho, a quinta edição do evento “Alameda Beer Fest- Festival Internacional de Cervejas e Cervejeiros Artesanais”, um formato de evento inovador e mediático, organizado pelo Município de Faro, OG & Associados e Ambifaro- Gestão de Equipamentos Municipais.

Este ano, a iniciativa contará com a presença de 29 cervejeiros e os visitantes poderão degustar 140 variedades de cerveja artesanal. A capital do Algarve volta a ser, com o “Alameda Beer Fest”, a referência mais mediática, a sul da Península Ibérica, atraindo grandes cervejeiros e projetos já consolidados.

Além das cervejas artesanais, haverá ainda street food, música e performances artísticas.

O festival abre as suas portas das 18h00 às 01h00 na quinta-feira e das 18h00 às 02h00 na sexta e sábado, contando com uma vasta programação, marcadamente virada para a ligação com a cerveja e o empreendedorismo crafter em estreita harmonia com o local do evento, o Jardim da Alameda – um ícone da capital e dos farenses.

Bandas em arruada e dj’s darão o tom musical transversal a todas as idades.

Estes são os ingredientes de um grande evento que marcará a agenda algarvia, tal como definição da cerveja artesanal: de qualidade elevada, pura e alegre, com personalidade e caráter próprios e uma motivação de empreender enorme. Serão, novamente, 3 dias inesquecíveis que ficarão na memória dos visitantes.

Programa do evento:

04 julho

Arruada Funkarmonica – 19h30;21h30;23h00

Dj Nuno Silva- 18h00 às 22h00

Clube dos Solteiros Histéricos (Dj’s)- 22h00 às 01h00 

05 julho

Arruada Al-Fanfare – 19h30;21h30;23h00

Dj André Salgueiro- 18h00 às 22h00

Dj Vitor Torpedo – 22h00 às 02h00

06 julho

Arruada Funkyoubrassband- 19h30;21h30;23h00

Dj Nuno Silva – 18h00 às 22h00

Dj Rodrigo da Mata – 22h00 às 02h00

Comentários fechados em Alameda Beer Fest regressa com 140 variedades de cerveja

Alamedadosoulna substituem Los de Abajo no Festival Med

Publicado em 26 Junho 2019 por RUA

Por motivos alheios à organização, a participação da banda mexicana Los de Abajo, agendada para o dia de encerramento do 16º Festival MED, 29 de junho, foi cancelada. Assim, irão subir ao Palco Matriz, pelas 00h30, para fechar da melhor forma este palco, os espanhóis Alamedadosoulna.

A banda de “nuestros hermanos” regressa, assim, a Loulé após ter atuado em 2015, com um espetáculo verdadeiramente eletrizante.

Depois de quase três anos sob um profundo processo de criogenização, Alamedadosoulna recarrega o seu armamento. Todo o seu arsenal de ska-reggae-soul prepara-se para explodir novamente no palco uma imensa bateria de projéteis diretos para fazer os pés e as gargantas do público moverem-se. A câmara está mais carregada do que nunca, com balas intermináveis ​​de dança e coreable dentro e fora do palco. O seu espetáculo único é renovado para integrar todo o seu repertório de hits com seus míticos elementos visuais e cénicos.

Com todos os seus circuitos e curtos circuitos bem lubrificados, os Alamedadosoulna – a banda com um dos espetáculos mais energéticos do planeta – fará com que o MED volte a tremer.

Os bilhetes estão à venda em www.bol.pt.

Mais informações em www.festivalmed.pt ou em https://www.facebook.com/festivalmedloule/

Comentários fechados em Alamedadosoulna substituem Los de Abajo no Festival Med

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Out
15
Ter
21:30 “Professor Lazhar” – Cineclube d... @ IPDJ - Faro
“Professor Lazhar” – Cineclube d... @ IPDJ - Faro
Out 15@21:30_22:45
"Professor Lazhar" - Cineclube de Faro @ IPDJ - Faro
Terça feira o Cineclube de Faro, apresenta Professor Lazhar,  com a assinatura  de Philippe Falardeau. O filme conta a história de um imigrante argelino que acaba de ser contratado para substituir uma professora que se[...]
Out
16
Qua
21:30 Choque Frontal ao Vivo com Pete ... @ TEMPO - Portimão
Choque Frontal ao Vivo com Pete ... @ TEMPO - Portimão
Out 16@21:30_23:00
Choque Frontal ao Vivo com Pete Tha Zouk @ TEMPO - Portimão
Quarta feira, o TEMPO recebe Choque Frontal ao Vivo, com Pete Tha Zouk . O pequeno auditório é palco de uma jam session, onde outras formas de arte também têm lugar. De dois em dois[...]
Out
18
Sex
21:30 Angola Brasil Duo na Re-Criativa... @ Re-Criativa República 14 - Olhão
Angola Brasil Duo na Re-Criativa... @ Re-Criativa República 14 - Olhão
Out 18@21:30_22:45
Angola Brasil Duo na Re-Criativa República 14 @ Re-Criativa República 14 - Olhão
Sexta-feira a Re-Criativa República 14 recebe Angola Brasil Duo. Paulinho Lemos e Zé Manuel Martins tocam juntos há 25 anos. Na bagagem, dois CD’s de originais gravados e muita estrada. Angola Brasil é a fusão[...]
21:30 Filme Francês do Mês – “Les Gran... @ Biblioteca Municipal de Faro
Filme Francês do Mês – “Les Gran... @ Biblioteca Municipal de Faro
Out 18@21:30_22:45
Filme Francês do Mês - “Les Grands Esprits” @ Biblioteca Municipal de Faro
Sexta Feira, no âmbito do Ciclo O Filme Francês do Mês é exibido na Biblioteca Municipal de Faro “Les Grands Esprits”. Um dia, enquanto resmunga sobre a necessidade de mandar professores experientes aos subúrbios mais[...]
21:30 Niño de Elche no Teatro das Figu... @ Teatro das Figuras - Faro
Niño de Elche no Teatro das Figu... @ Teatro das Figuras - Faro
Out 18@21:30_22:45
Niño de Elche no Teatro das Figuras em Faro @ Teatro das Figuras - Faro
Sexta-feira, Niño de Elche apresenta o seu mais recente álbum “Colombiana”, no Teatro das Figuras em Faro. Neste registo o músico aborda a influência da América Latina no Flamenco. Niño de Elche mistura géneros musicais[...]
Out
19
Sáb
21:30 Vou Ficar” com Dário Guerreiro n... @ Teatro das Figuras - Faro
Vou Ficar” com Dário Guerreiro n... @ Teatro das Figuras - Faro
Out 19@21:30_23:00
Vou Ficar” com Dário Guerreiro no Teatro das Figuras @ Teatro das Figuras - Faro
Sábado o Teatro das Figuras recebe “Vou Ficar” com Dário Guerreiro. Este é o nome do segundo solo stand-up comedy do Môce dum Cabréste. O algarvio revela-nos a razão de ainda não ter saído de[...]
22:45 27º Aniversário do Bafo de Baco ... @ Bafo de Baco - Loulé
27º Aniversário do Bafo de Baco ... @ Bafo de Baco - Loulé
Out 19@22:45_23:45
27º Aniversário do Bafo de Baco com Pás De Problème @ Bafo de Baco - Loulé
Sábado, o Bafo de Baco assinala o seu 27º aniversário com um concerto dos Pás De Problème. A banda é conhecida pelas suas festas, com sopros frenéticos, canções e paisagens para dançar. Nesta noite, de[...]
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões