Arquivo | Actualidade

Fundação para a Ciência e a Tecnologia lança “DOCTORATES4 COVID-19”

Publicado em 07 Abril 2020 por RUA FM

“DOCTORATES4 COVID-19” é uma nova iniciativa  lançada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) para estimular a formação doutoral de investigadores e especialistas em “ciências da virologia” em Portugal.

Segundo o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, este novo programa da FCT “tem toda a relevância e oportunidade face à reconhecida necessidade de estimular a formação de cientistas e especialistas em virologia em Portugal. Este concurso de formação doutoral especializada em “ciências da virologia” deve ser planeado para vir a abrir durante, pelo menos, 5 anos consecutivos. Adicionalmente, a FCT apoiará a organização, por instituições nacionais e em articulação com a Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica (AICIB), de uma “Escola Doutoral em ciências da virologia”, com uma duração semanal e periodicidade anual, na forma de um workshop que reúna estudantes e investigadores nacionais e internacionais.”

Desde já, para 2020, este programa vai atribuir 50 bolsas de Doutoramento através de um concurso aberto em qualquer área científica que contribuam para os seguintes objetivos:

  1. 1. Epidemiologia e fatores de risco de infeção e doença grave pelo vírus;
  2. A interação Homem-animal, mecanismos de resistência e de transmissão interespécies do vírus, e o risco de pandemias;
  3. Estratégias de prevenção e preparação para novas epidemias, incluindo vacinas;
  4. Abordagens inovadoras, incluindo novos métodos e novas tecnologias, para o diagnóstico da doença;
  5. Caracterização dos mecanismos de infeção viral;
  6. Caracterização da resposta do hospedeiro, imunológica celular e serológica, à infeção pelo vírus, impacto da idade e comorbilidades;
  7. Desenvolvimento de novas terapias e de novas abordagens terapêuticas, incluindo equipamentos de suporte de vida e de proteção individual para o combate à doença;
  8. Repercussões da infeção viral na saúde materna e no recém-nascido;
  9. Impacto psicológico e alterações de comportamento associadas à pandemia.

As bolsas de doutoramento a atribuir no âmbito do programa DOCTORATES4 COVID-19 destinam-se a atividades de investigação desenvolvidas em instituições de ensino superior, unidades de I&D, Laboratórios Associados, Laboratórios Colaborativos, Centros de Interface Tecnológico, Laboratórios do Estado e outras instituições públicas de investigação, hospitais e unidades de cuidados de saúde, outras entidades integradas na Administração Pública, nacionais ou internacionais.

As candidaturas decorrem entre 8 de abril e 14 de maio e devem ser submetidas no portal myFCT.

Comentários fechados em Fundação para a Ciência e a Tecnologia lança “DOCTORATES4 COVID-19”

AMAL contribui com mais 600 mil euros para aquisição de material

Publicado em 07 Abril 2020 por RUA FM

16 câmaras municipais do Algarve transferiram para o Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (ABC) mais 600 mil euros para a aquisição de equipamentos e materiais necessários às entidades da Região. Uma verba a juntar aos 1.380.000,00€ que a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve já tinha disponibilizado para o combate à COVID-19.

A decisão foi tomada na última reunião do Conselho Intermunicipal, que decorreu no passado dia 3 de abril e visa garantir a aquisição dos 30 ventiladores invasivos já encomendados, tendo em conta que se verifica uma variação de preços no mercado. A verba vai permitir também adquirir mais material, a ser distribuído pelos concelhos, para responder às necessidades que de centros de saúde, corporações de bombeiros, IPSS´s e agentes da autoridade.

Recorde-se que a AMAL assinou, há cerca de duas semanas, um protocolo com o ABC para aquisição de 30 ventiladores invasivos, termómetros e material de proteção individual, de que são exemplos máscaras, luvas e fatos, destinados aos hospitais da Região.

A AMAL procura, assim, ajudar a responder à situação excecional que se vive, com a proliferação de casos registados de contágio de COVID-19 e que exige a aplicação de medidas extraordinárias e de caráter urgente.

Os presidentes de câmara apelam, novamente, a toda a população do Algarve para que continue a assumir, nos seus hábitos e comportamentos, as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), com vista à sua própria proteção e à contenção da propagação (informação em https://www.dgs.pt/) e que cumpra o decretado no Estado de Emergência Nacional.

Comentários fechados em AMAL contribui com mais 600 mil euros para aquisição de material

“Science 4 COVID-19” promove iniciativas da comunidade científica portuguesa

Publicado em 04 Abril 2020 por RUA FM

O portal Science 4 COVID-19 foi lançado esta sexta-feira, dia 3 de abril, pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e a Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica (AICIB), em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, autoridades de saúde e instituições de investigação científica, públicas e privadas.

Trata-se de um portal que reúne ideias, publicações e ações em curso, identificação da capacidade instalada disponível e grupos de investigação, disponibilizando meios de trabalho colaborativo online sobre estes elementos, bem como mecanismos de comunicação direta entre os utilizadores com o objetivo de promover a interação e colaboração entre todos.

As ideias, ações e publicações submetidas são previamente validadas por uma Comissão de Validação Técnica e Científica constituída por Catarina Oliveira (Presidente do Conselho Diretivo da AICIB), Patrícia Calado (Vogal do Conselho Diretivo da AICIB), Cristina Abreu Santos (Vogal do Conselho Diretivo do Instituto Ricardo Jorge) e Nuno Feixa Rodrigues (Vogal do Conselho Diretivo da FCT), recorrendo sempre que necessário a entidades de reconhecido mérito cientifico e profissional para apoio à análise e enquadramento das iniciativas submetidas nas diversas áreas específicas de aplicação.

O “Science 4 COVID-19” compila recursos disponíveis para utilização em projetos e atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) que visem o combate ao novo coronavírus (COVID-19) em linha com o Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença da Direção Geral da Saúde (DGS), bem como com as estratégias de outras autoridades europeias e internacionais de saúde.

O portal agrupa um largo espetro de iniciativas da comunidade científica portuguesa, que vão desde ações de caráter social e solidário, como a identificação e disponibilização aos profissionais de saúde de material de proteção individual; passando pelas engenharias, como a adaptação, desenvolvimento e fabrico de diversos modelos de ventiladores; à área clínica e biomédica, como novos protocolos de rastreamento do coronavírus; até à comunicação, como a criação de materiais informativos e educativos sobre o Coronavirus para divulgar nos PALOP.

Estamos perante uma iniciativa, como afirma o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no artigo em anexo, “para dar resposta à situação epidemiológica provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e da doença COVID-19, assim como para alavancar novas atividades económicas de base tecnológica em Portugal”. Para tal o Ministro Manuel Heitor reforça que “importa mobilizar investigadores e as suas instituições com a capacidade necessária para concretizar efetivamente os esforços em curso, assim como mobilizar outros institutos científicos e tecnológicos nacionais, empresas e técnicos de saúde para garantir a implementação efetiva das várias ações”.

Comentários fechados em “Science 4 COVID-19” promove iniciativas da comunidade científica portuguesa

Tags: , ,

Fundo de emergência Abem angaria 56 mil euros em donativos

Publicado em 03 Abril 2020 por RUA

Oito dias após a sua criação, o ‘Fundo Solidário “Emergência abem: COVID-19’ conta já com donativos no montante total de 56.022,93 Euros.

O Fundo Solidário foi criado para garantir o acesso aos medicamentos, produtos e serviços de saúde a quem está em isolamento social. Promovida pela Associação Dignitude, no âmbito do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, esta iniciativa pretende levar Saúde a quem que se encontra mais frágil no período da pandemia do coronavírus.

«Estamos a travar uma batalha à escala global a que ninguém pode ficar indiferente. Todos somos afetados pela pandemia COVID-19 e todos somos poucos para dar resposta a esta situação. É em momentos difíceis que temos de nos unir para ajudarmos quem precisa. É por isso que apelamos à solidariedade dos portugueses que contribuam para esta causa», afirma Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação.

Os donativos podem ser feitos no website www.abem.pt ou por transferência bancária para o IBAN: PT50.0036.0000.99105930085.59. Os doadores podem enviar comprovativo de transferência, nome e NIF para geral@dignitude.org , para que lhes seja emitido o recibo de donativo.

Através da articulação com as entidades parceiras do Programa abem: (Autarquias, Instituições Particulares de Solidariedade Social, Cáritas e Misericórdias), os beneficiários abem: inseridos em grupos de risco já podem receber os medicamentos de que precisam em suas casas. Adicionalmente, poderão também usufruir desta possibilidade outros cidadãos que devido à Pandemia COVID-19 apresentem necessidades específicas, desde que referenciados por entidades parceiras e apoiados no acesso a medicamentos, produtos e serviços de saúde.

O Programa abem: Rede Solidária do Medicamento da Associação Dignitude é uma iniciativa apoiada pela Portugal Inovação Social, através de Fundos da União Europeia

Comentários fechados em Fundo de emergência Abem angaria 56 mil euros em donativos

Resposta social das escolas aumenta e notas referentes ao 2.º período vão chegar aos alunos

Publicado em 01 Abril 2020 por RUA FM

As mais de 700 escolas de referências abertas com o serviço de refeições escolares para alunos carenciados e que acolhem os filhos/dependentes dos trabalhadores de serviços essenciais manter-se-ão abertas durante a pausa letiva, que se inicia na próxima segunda-feira, 30 de março.
O Ministério da Educação reitera que as escolas têm também como missão cumprir uma função social imprescindível, em todo o território, garantindo diariamente apoio às crianças e jovens que necessitem de acolhimento ou de uma resposta alimentar adequada, atendendo às regras de segurança determinadas pelas autoridades de saúde.

Na segunda semana de atividades letivas presenciais suspensas, o número de refeições servidas nas escolas de norte a sul do país tem vindo a aumentar, ultrapassando a média de 6500 refeições diárias, desde o início do processo. Só esta quarta-feira foram servidas cerca de 8 mil refeições. Estas escolas de acolhimento dão já resposta a 150 filhos/educandos de trabalhadores de serviços especiais, que utilizaram este mecanismo.
No que diz respeito à intervenção educativa para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade, além da informação enviada às escolas – cujo trabalho, que está a ser articulado com entidades de outras áreas governativas, está a ser ultimado – o Ministério da Educação enviou um inquérito, através do qual será possível identificar, com mais detalhe, a necessidade de respostas mais casuísticas.

Na véspera do final do 2.º período é importante sublinhar que a pausa das próximas duas semanas decorrerá nos moldes habituais.

Quanto às notas referentes ao 2.º período, reitera-se que estas estão asseguradas, em conformidade com as orientações já enviadas e publicadas no sítio https://apoioescolas.dge.mec.pt/.

A forma de as publicitar está a ser ultimada, atendendo às questões relacionadas com a proteção dos dados pessoais dos alunos.
Tal como já anunciado, os moldes de funcionamento do 3.º período letivo serão divulgados até 9 de abril.

Estas duas semanas de pausa letiva, que se iniciam na próxima segunda-feira, serão um continuar do trabalho aturado, contínuo e permanente desenvolvido pelo Ministério da Educação, que tem contado com o contributo inexcedível e inequívoco da comunidade educativa alargada – diretores, professores, pessoal não docente, famílias, sem esquecer o esforço dos estudantes.

Comentários fechados em Resposta social das escolas aumenta e notas referentes ao 2.º período vão chegar aos alunos

Coronavírus: Comissão apresenta orientações práticas para assegurar a livre circulação dos trabalhadores em profissões críticas

Publicado em 30 Março 2020 por RUA FM

A Comissão Europeia emitiu hoje orientações práticas para garantir que os trabalhadores móveis na UE, em especial os que exercem profissões críticas para o combate à pandemia de coronavírus, possam chegar aos respetivos locais de trabalho. Aqui se incluem, mas não exclusivamente, as pessoas que trabalham nos setores dos cuidados de saúde e da alimentação, mas também noutros serviços essenciais como os cuidados a crianças e idosos e o pessoal crítico dos serviços públicos. Juntamente com as orientações sobre a aplicação da restrição temporária das viagens não indispensáveis para a UE, também hoje publicadas, estas orientações vêm na sequência dos pedidos apresentados pelos dirigentes da UE em 26 de março e procuram dar resposta às preocupações práticas dos cidadãos e das empresas afetados pelas medidas tomadas para limitar a propagação do coronavírus, bem como das autoridades nacionais responsáveis pela sua aplicação.

Embora seja compreensível que os Estados-Membros tenham introduzido controlos nas fronteiras internas para limitar a propagação do coronavírus, é imperativo que os trabalhadores em profissões críticas possam chegar sem demora ao seu destino.

Nicolas Schmit, comissário do Emprego e Direitos Sociais, declarou: «Milhares de homens e mulheres que trabalham arduamente para nos manter seguros, saudáveis e com comida na mesa têm de atravessar fronteiras dentro da UE para ir trabalhar. É nossa responsabilidade coletiva garantir que não são entravados nas suas deslocações, ao mesmo tempo que tomamos todas as precauções para evitar uma maior propagação da pandemia.»

As orientações hoje publicadas identificam um conjunto de trabalhadores que exercem profissões críticas e para os quais a liberdade de circulação é considerada essencial. A lista constante das presentes orientações não é exaustiva. Entre esses incluem-se profissionais da saúde de nível intermédio, trabalhadores que prestam cuidados a crianças e idosos, cientistas nas indústrias relacionadas com a saúde, pessoas necessárias à instalação de equipamentos médicos vitais, bombeiros e agentes de polícia, bem como trabalhadores dos setores dos transportes e da alimentação. A Comissão insta os Estados-Membros a estabelecerem procedimentos específicos, rápidos e livres de encargos, para assegurar a passagem harmoniosa dos trabalhadores fronteiriços, nomeadamente um rastreio sanitário proporcionado.

Para além destas categorias específicas de profissionais, as orientações esclarecem também que os Estados-Membros devem permitir que os trabalhadores fronteiriços em geral continuem a atravessar as fronteiras se o trabalho no setor em que exercem a sua atividade continuar a ser autorizado no Estado-Membro de acolhimento. Os Estados-Membros devem tratar os trabalhadores fronteiriços da mesma forma que tratam os trabalhadores nacionais.

No que diz respeito aos trabalhadores sazonais, especialmente no setor agrícola, os Estados-Membros são instados a trocar informações sobre as respetivas necessidades a nível técnico, a fim de estabelecer procedimentos específicos para facilitar a travessia fronteiriça desses trabalhadores e, assim, responder à escassez de mão de obra resultante da crise. Os trabalhadores sazonais na agricultura desempenham, em certos casos, funções críticas de colheita, plantação e tratamento. Nestes casos, os Estados-Membros devem tratar essas pessoas como trabalhadores críticos e comunicar aos empregadores a necessidade de prever uma proteção adequada em matéria de saúde e segurança.

As presentes orientações complementam as Orientações recentemente adotadas relativas às medidas de gestão das fronteiras para proteger a saúde e assegurar a disponibilidade de bens e serviços essenciais, bem como as Orientações sobre a aplicação da restrição temporária das viagens não indispensáveis para a UE, também hoje apresentadas.

A Comissão continuará a identificar boas práticas com os Estados-Membros, suscetíveis de serem alargadas a todos os Estados-Membros para permitir que os trabalhadores em profissões críticas as possam exercer sem entraves indevidos.

Contexto

A pandemia do coronavírus motivou a introdução de medidas sem precedentes em todos os Estados-Membros da UE, incluindo a reintrodução de controlos nas fronteiras internas.

Os trabalhadores fronteiriços, os trabalhadores destacados e os trabalhadores sazonais vivem num país da UE, mas trabalham noutro. Muitos deles são cruciais para os Estados-Membros de acolhimento, por exemplo, para o sistema de saúde, a prestação de outros serviços essenciais, incluindo a instalação e a manutenção de equipamento e de infraestruturas médicas ou a garantia de aprovisionamento de bens de primeira necessidade. Por conseguinte, é fundamental uma abordagem coordenada a nível da UE.

Em 26 de março, os Chefes de Estado ou de Governo declararam: «Resolveremos com a maior urgência, com o apoio da Comissão, os problemas que subsistem no que diz respeito aos cidadãos da UE que se encontram retidos nas fronteiras internas da União e impedidos de regressar aos seus países de origem, bem como no que diz respeito aos trabalhadores transfronteiriços e sazonais que têm de poder continuar a exercer atividades essenciais.» As orientações hoje apresentadas constituem a resposta imediata da Comissão a este apelo, em paralelo com as Orientações sobre a aplicação da restrição temporária das viagens não indispensáveis para a UE, que incluem o repatriamento de cidadãos da UE.

Página Web consagrada ao coronavírus

Comentários fechados em Coronavírus: Comissão apresenta orientações práticas para assegurar a livre circulação dos trabalhadores em profissões críticas

Farmácia? Ligue 1400

Publicado em 30 Março 2020 por RUA FM

Já está em funcionamento, em todo o continente e ilhas, a linha telefónica gratuita que garante o acesso a medicamentos com aconselhamento farmacêutico 24 horas por dia.

Quem necessitar de medicamentos basta ligar 1400, de qualquer rede móvel ou fixa, e fazer a sua encomenda. As chamadas são gratuitas. Há diversas modalidades de entregas ao domicílio garantidas em todo o país.

O 1400 é especialmente recomendado às pessoas que, pela sua idade ou condição de saúde, se devem abster de qualquer saída à rua durante a pandemia de COVID-19. Com uma chamada telefónica podem encomendar quaisquer medicamentos e produtos de farmácia. O centro de atendimento dará prioridade à satisfação dos pedidos de doentes crónicos e pessoas com mais de 60 anos.

A linha pode ainda ser usada para planear visitas à farmácia. O serviço 1400 garantirá a cada português que terá à sua espera, na farmácia da sua preferência, todos os medicamentos e produtos de saúde de que necessita, com especial atenção aos mais urgentes.

«As farmácias montaram em tempo record um serviço farmacêutico telefónico de abrangência nacional. Todos devemos evitar sobrecarregar a linha com pedidos desnecessários, para ser possível responder de imediato às necessidades urgentes e das pessoas mais frágeis», apela Paulo Cleto Duarte, presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF).

A escolha da farmácia cabe a cada cidadão. O atendimento telefónico informa quais as farmácias mais próximas com os medicamentos disponíveis. Antes de libertar qualquer encomenda, a farmácia escolhida contacta sempre o utente para o esclarecer quanto aos benefícios, riscos e instruções a seguir para o bom uso dos medicamentos.

As farmácias garantem a dispensa de medicamentos ao domicílio, em todo o país, com serviços próprios, em pareceria com autarquias, IPSS e os CTT.

«A pandemia pode ter colocado em causa as visitas à farmácia, mas jamais o serviço farmacêutico completo e seguro. As farmácias continuam próximas de qualquer português, a cada segundo que passa», garante o presidente da ANF.

O serviço SAFE 1400 cumpre as boas práticas de farmácia e de distribuição, testadas em projetos-piloto que decorreram em Bragança e Loures.

Comentários fechados em Farmácia? Ligue 1400

Tags: ,

Loulé apaga as luzes pelo planeta

Publicado em 24 Março 2020 por RUA

Numa altura em que a pandemia do novo coronavírus aflige a Humanidade, a preocupação com o futuro do Planeta face às alterações climáticas mantém-se firme em todo o mundo. No próximo sábado, dia 28 de março, será reeditada a iniciativa Hora do Planeta, promovida internacionalmente pela organização global de conservação da natureza World Wildlife Found (WWF). A autarquia de Loulé volta a associar-se à iniciativa simbólica e entre as 20h30 e as 21h30 vai desligar as luzes dos seguintes espaços públicos: edifício dos Paços do Concelho, edifício Engº Duarte Pacheco (Assembleia Municipal), Monumento ao Engº Duarte Pacheco, Mercado Municipal de Loulé, Cineteatro Louletano, Muralha do Castelo de Loulé, Centro Autárquico de Quarteira e edifícios das juntas de freguesia de S. Sebastião, S. Clemente, Salir, Querença, Boliqueime, Tôr e Benafim.

Este ano a World Wildlife Found  desafia os cidadãos a participarem, arranjando formas criativas de, a partir de suas casas, participarem nesta Hora do Planeta. Esses momentos podem ser partilhados com a Associação Nacional de Municípios Portugueses, em associação com a WWF, através das redes sociais ou para o e-mail anp@natureza-portugal.org. A organização global de conservação da natureza  lança até algumas ideias que podem ser aproveitadas pelas famílias, tais como cozinhar uma receita que tenha uma base sustentável; um momento de storytelling à volta da natureza; uma atividade que promova o bem-estar e equilíbrio (meditação, yoga, respiração consciente); atividades em família com o enfoque no nosso Planeta (desenhos, teatralizações, cantigas, músicas).

 

Comentários fechados em Loulé apaga as luzes pelo planeta

Covid-19 – #ESTUDOEMCASA assinala Dia Nacional do Estudante

Publicado em 23 Março 2020 por RUA FM

A 24 de março celebra-se o Dia Nacional do Estudante e o Ministério da Educação vem desafiar os mais novos a partilharem imagens a estudar na sua sala de aula provisória.
A ideia é que, esta terça-feira, os alunos ou encarregados de educação partilhem nas suas redes sociais uma foto em casa, em ambiente de estudo, e coloquem a hashtag #EstudoEmCasa, criando um movimento nacional de motivação para que alunos, famílias, docentes, não docentes e escolas prossigam esta caminhada, num ano letivo que, inesperadamente, já tem contornos diferentes do habitual. Esta é também uma forma de os alunos reconhecerem o trabalho dos seus professores.

As fotografias espalhadas pelas redes sociais serão compiladas na página de instagram: https://www.instagram.com/estudoemcasa2020/.

O Dia Nacional do Estudante comemora-se a 24 de março, desde 1987. É um dia de celebração, luta e homenagem às dificuldades e aos obstáculos que os estudantes enfrentaram na crise académica dos anos 60. É uma data que celebra a força que o estudante tem na luta pelo direito à Educação e pela Liberdade.
Num tempo em que as atividades letivas presenciais estão suspensas, é importante reafirmar o direito à Educação, independentemente do momento ou das vicissitudes que se atravessem.

Comentários fechados em Covid-19 – #ESTUDOEMCASA assinala Dia Nacional do Estudante

Covid 19: Município de Faro fiscaliza estabelecimentos não essenciais que continuem abertos ao público

Publicado em 23 Março 2020 por RUA FM

Serviço de Fiscalização da autarquia, em articulação com autoridades, promove ações de vigilância a partir desta segunda feira, dia 23 de março. Prevaricadores vão ser punidos à luz do quadro legal vigente.

O Município de Faro, em articulação com as autoridades, está a realizar, a partir desta segunda feira, dia 23 de março, diversas ações de vigilância e fiscalização junto de estabelecimentos não essenciais do concelho que continuem em funcionamento com atendimento ao público apesar do estado de emergência em vigor no País.

Apesar do estado de exceção em que vivemos, vários cafés e bares, nomeadamente nas freguesias rurais, mantiveram-se abertos ao longo dos últimos dias sem respeitar quaisquer regras de segurança e prevenção recomendadas, pondo assim em risco a segurança e saúde de funcionários, clientes e população em geral.

O Município volta, por isso, a fazer um apelo muito sério aos proprietários de estabelecimentos não essenciais do setor não alimentar do concelho que encerrem as portas imediatamente, sendo parte ativa no combate à propagação do vírus COVID-19.

Em caso de infrações ao encerramento verificadas pelo Serviço de Fiscalização da autarquia, em articulação com as autoridades competentes, os prevaricadores serão punidos à luz do quadro legal vigente.

Além da necessidade de recato social – e confinamento obrigatório (cuja violação é crime de desobediência) para doentes infetados ou pessoas em vigilância ativa -, foi decretado o encerramento obrigatório de todos os estabelecimentos comerciais com atendimento ao público, à exceção dos que vendem bens alimentares, farmácias e bombas de gasolina, que devem, ainda assim, privilegiar o atendimento à porta e ao postigo, para evitar contacto entre clientes e colaboradores, de acordo com as normas emanadas pela Direção-Geral da Saúde.

Já os cafés e restaurantes devem ser encerrados ao público, devendo funcionar, mas apenas para “take away” ou entregas ao domicílio.

A Câmara Municipal de Faro recomenda a todos os munícipes que acatem as medidas de segurança emanadas pela Direção-Geral da Saúde, nomeadamente o recolhimento domiciliário. Deslocações para fora do domicílio só deverão ser efetuadas se forem estritamente necessárias, e em casos previstos pela lei: devem cingir-se à atividade profissional (caso não possa ser exercida em teletrabalho), por motivos de saúde, aquisição de serviços, assistência a familiares e passeios de curta duração de animais de companhia.

Nas saídas autorizadas, os munícipes deverão também respeitar as medidas de segurança, nomeadamente guardar distância de um metro para outras pessoas.

Para minorar as dificuldades de todos e permitir a permanência dos munícipes nos seus lares com maior conforto e segurança, a autarquia está a promover um conjunto de medidas no âmbito da iniciativa #FaroemCasa, nomeadamente uma campanha de informação com empresas de condomínios para estimular a solidariedade entre vizinhos e entregas ao domicílio de bens de primeira necessidade por parte de empresas do concelho (ver mais informação no sítio online do Município: www.cm-faro.pt).

Comentários fechados em Covid 19: Município de Faro fiscaliza estabelecimentos não essenciais que continuem abertos ao público

 
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
Destacar permite ouvir enquanto navegas na página. Essencial para quem usa Firefox
 
Newsletter
  1. Aguardamos os teus comentários e Sugestões